Rio de Janeiro

Tiro atinge escola no Grajaú

PM informou que houve um confronto na comunidade do Andaraí

Atualizado às 12/09/2018 14:39:47

Rio - O Colégio Companhia de Maria foi atingido por um tiro, na manhã desta quarta-feira, no Grajaú, Zona Norte do Rio. A Polícia Militar informou que houve um confronto na comunidade do Andaraí, vizinha ao bairro, e apenas uma investigação da Polícia Civil poderá comprovar se existe relação entre as duas ocorrências. 

Segundo a Polícia Civil, agentes da 20ª DP (Vila Isabel) realizam diligências no local para apurar as informações e uma perícia será realizada. A Associação de Moradores do Grajaú (Amgra) disse através das redes sociais que a diretoria do Colégio Companhia de Maria entrou em contato com eles para divulgar que há incerteza da origem do disparo. O DIA tentou contato com a instituição, mas até publicação desta reportagem ninguém foi encontrado. 

Confronto entre policiais e criminosos no Andaraí

Nesta manhã, houve um confronto entre policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Andaraí e suspeitos na comunidade. De acordo com a unidade, os militares estavam em patrulhamento na localidade conhecida como Caminho do Pasto quando observaram um grupo em atitude suspeita numa área de mata na região e durante a tentativa de abordagem, os agentes foram recebidos a tiros. 

Ainda segundo a UPP, um homem foi ferido e socorrido para o Hospital Federal do Andaraí, mas não resistiu aos ferimentos. Com ele, os militares apreenderam uma pistola calibre 9mm, um rádio comunicador, 110 pedras de crack, 109 papelotes de cocaína e seis pequenos tabletes de maconha.

 

 

 

  • Celebridades - 20/11/2018
  • Isis Valverde deixa maternidade com o filho, Rael
  • O pequeno nasceu nesta segunda, 19, pesando 3.380kg e medindo 51 centímetros.
  • Carioca - 20/11/2018
  • Bangu reforça setor defensivo para o Campeonato Carioca
  • Ex-Ponte Preta e CSA, zagueiro Rodrigo Lobão defenderá time da Zona Oeste
  • Brasil - 20/11/2018
  • MPF questiona transparência de convênio do programa Mais Médicos
  • Procuradores apontaram falta de clareza sobre a execução do convênio e na aplicação dos recursos e questionaram a retenção de parte da remuneração pelo governo de Cuba