Embarcação atracada no píer de uma casa dentro de um condomínio, em Angra, foi levada com todos os objetos dentroReprodução

A região da Costa Verde é um pedaço encantador do litoral do Estado do Rio, com águas calmas e belíssima paisagem. Por volta da 0h20 da última quarta-feira, no entanto, a paz e o sossego se transformaram em pesadelo quando uma embarcação atracada no píer de uma casa dentro de um condomínio, em Angra dos Reis, foi levada com todos os objetos que nela estavam guardados, segundo testemunhas, por um grupo armado que ameaçou ainda os marinheiros.

 

Envolvidos no roubo do barco - Editoria de Arte
Envolvidos no roubo do barcoEditoria de Arte

Ontem, a vítima que denunciou a retirada do barco pediu a instauração de inquérito policial junto à delegacia de Angra dos Reis "para a cabal apuração dos fatos".
"Tais objetos foram subtraídos praticamente em plena madrugada e mediante o concurso de pessoas. Por fim, imprescindível apurar as ameaças feitas à tripulação, notadamente a presença de indivíduo armado, o que apenas as acentuou", diz parte do documento.
Vizinhos em pânico, que preferiram não se identificar, questionam como o grupo invadiu o condomínio, uma propriedade privada. Eles dizem que, como navegaram à noite, é porque, no mínimo, conhecem a região.

A reportagem contatou suspeitos de participação na ação: Thiago Mascaro (advogado); Uildimo Machado dos Santos, o Silvio Clooney (antigo marinheiro da lancha); Rafa (filho de Silvio Clooney); Eduardo, o Dudu (trabalha na empresa SOS Boat), Vania Oliveira (trabalha na Premium Charters & Brokerage) e PM Danilo (esposo de Vania Oliveira).
Apenas Rafa e o advogado de Dudu responderam o contato da redação, afirmando que não iriam falar nada no momento.
Na manhã de ontem, uma pessoa ligou para a redação representando a empresa Azimut Yachts Brasil, e retornamos o contato à tarde enviando algumas perguntas. A redação também não obteve retorno até o fechamento da edição. O espaço está aberto e a reportagem será atualizada caso queiram se posicionar.
Se você tem alguma informação sobre o paradeiro da embarcação, denuncie para o WhatsApp do jornal O DIA (21) 98762-8248. É oferecida recompensa caso o barco seja recuperado sem danos.