Pedro Cajueiro é filiado ao PSL e foi eleito com 708 votos
Pedro Cajueiro é filiado ao PSL e foi eleito com 708 votosFoto: Lucas Madureira
Por Lucas Madureira
ARRAIAL DO CABO – O vereador de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio, Pedro Cajueiro, foi exonerado nessa terça-feira (18) do cargo de secretário municipal de Obras. De acordo com o político, a exoneração foi um pedido que ele mesmo fez ao prefeito da cidade, Marcelo Magno, para que pudesse retornar às atividades na Câmara Municipal de Vereadores.
Sem dar detalhes, Cajueiro contou que vinha sofrendo diversos ataques durante o período em que esteve na pasta e que, por esse motivo, decidiu deixar o cargo. “Eu pedi pra retornar à Câmara por diversos motivos, incluindo por diversos ataques que a Secretaria de Obras vinha sofrendo, principalmente, pelo presidente da Câmara [Angêlo Alves, conhecido como Shogun], que deveria ser meu parceiro”, disse o parlamentar, que é filiado ao PSL e foi eleito com 708 votos.
Publicidade
O vereador também afirmou que havia rumores na cidade de que a eleição para a Mesa Diretora para o biênio 2023 – 2024, que teria ele como presidente do Legislativo poderia ser cancelada. “Eu não sendo vereador, não tenho como me defender, então meu retorno pra Câmara é pra eu poder atuar pelo que eu fui designado, ganhei a eleição, e saio de cabeça erguida. Dei o meu melhor na secretaria de obras”, concluiu Pedro, em entrevista ao O DIA.
Cajueiro foi substituído por Miguel da Neves Oliveira, que já foi nomeado para ocupar a secretaria municipal de Obras. O DIA não conseguiu contato com o presidente da Câmara de Vereadores para comentar o que o ex-secretário disse sobre ele.
Publicidade
BALANÇO DA GESTÃO
Durante os poucos mais de quatro meses em que esteve à frente da pasta, o então secretário, que é formado em engenharia civil, destacou dois trabalhos importantes realizados pela Secretaria Municipal de Obras, como a contenção feita em uma área do bairro Sítio, onde havia sido registrado um deslizamento de terra, e a liberação para a obra de contenção às margens da RJ-140, na altura da Prainha, onde também será construído um mirante. A intervenção teve início este mês, e está sendo realizada pelo governo do estado, com previsão de oito meses de duração.