Fabricante de motos elétricas dos EUA cria modelo com baterias que simulam motor V8 - divulgação
Fabricante de motos elétricas dos EUA cria modelo com baterias que simulam motor V8divulgação
Por O Dia
Rio - Uma moto com motor oito cilindros sugere duas coisas: muita potência e por consequência consumo elevado de combustível. Mas e se substituíssemos o V8 bebedor por oito baterias? Foi isso que a Curtis, empresa especializada em motos movidas a eletricidade, fez em seu mais novo conceito Hera. O protótipo, feito em alusão a moto dos anos 1900, tem conjunto capaz de entregar 217 cv.

Moderno, clássico e excêntrico, o conceito com baterias que emulam um motor V8 teve seu visual inspirado em moto usada por Glenn. H. Curtiss, que empresta seu nome a marca, em 1907, para a prova de Ormond Beach, na Flórida. Foi com ela que ele conseguiu bater o recorde de velocidade no mundo ao alcançar os 260 km/h.
O destaque do design vai para as linhas do quadro e do garfo dianteiro, que se misturam como no modelo original, além disso, também é destaque, embora pareça desconfortável, o longo entre-eixos de 1.67m.

O motor elétrico com potência de 217 precisa de força para girar e é esse o trabalho das oito baterias, que entregam cada uma capacidade de 16,8 kWh. A potência gerada é cerca de 12% maior que a força praticada hoje por modelos de alto padrão nesse segmento.

“Com a Hera, planejamos criar a motocicleta mais luxuosa do mundo. Ela traz pela primeira vez na história uma arquitetura de bateria V8, um motor E-Twin ultra-poderoso, mas refinado, e uma distância entre eixos de 66 polegadas para criar uma categoria própria”, comenta Matt Chambers, o CEO da marca.

De acordo com a marca americana, a Hera, cuja autonomia para rodar e outros dados técnicos não foram revelados, pode chegar ao mercado apenas em sua versão mais tradicional. A previsão é para meados de 2020.