Para Dilma, segurança será capaz de dar tranquilidade aos torcedores

"O deslocamento dos brasileiros e turistas pelas cidades-sede será seguro", disse a presidenta

Por douglas.nunes

Ao receber a Taça da Copa do Mundo do presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Joseph Blatter, a presidenta Dilma Rousseff afirmou que a segurança do país será capaz de proporcionar a todos os torcedores a “tranquilidade para aproveitarem os jogos, festas e passeios para conhecer nossas belezas”. “O deslocamento dos torcedores e turistas pelas cidades-sede será tranquilo e seguro”, disse a presidenta.

Dilma e Cafu apresentam a Taça da Copa do Mundo FIFAAgência Brasil

Dizendo que o Brasil é democrático e que respeita a liberdade de manifestação e de expressão, Dilma afirmou que ele é um país “capaz de preservar os direitos daquela maioria que quer assistir os jogos, que quer se confraternizar e comemorar”. “Estamos preparados para oferecer ao mundo um maravilhoso espetáculo, acrescido da alegria, do respeito e da gentileza característicos do povo brasileiro”, disse, desejando boas vindas aos estrangeiros.

A presidenta também convidou os visitantes e seleções que participarão do Mundial a se engajarem na luta contra todos os tipos de preconceito, e desejou que o Brasil seja campeão pela sexta vez. O presidente da Fifa utilizou a expressão que vem sendo repetida por Dilma, de que esta será a Copa das Copas, e se disse animado com a competição.

Antes, Joseph Blatter concordou que esta será uma oportunidade para o País se promover em todo o planeta. “De fato, durante mais de um mês, todos os olhos do mundo, por meio da televisão, vão se voltar para o Brasil”, disse o presidente da Fifa. Ao citar o governo brasileiro, as cidades-sede e o Comitê Organizador Local como parceiros, Blatter considerou que fará o “máximo para que esta seja a melhor copa do mundo da história”.

De acordo com ele, esta 20ª Copa do Mundo vai reforçar a luta contra a discriminação de qualquer tipo, principalmente o racismo. “Aproveito a oportunidade para repetir minha esperança de que durante este tempo pelo menos as atividades beligerantes no mundo cessem, e que o futebol seja uma forma de unir pessoas”, afirmou, lembrando que o Papa Francisco redigirá uma mensagem com estes princípios, a ser lida na cerimônia de abertura, no próximo dia 12, em São Paulo.

Após a cerimônia, o capitão da seleção pentacampeã Cafu disse que apesar dos problemas do país, este é o momento de se pensar no Mundial. “Eu acho que nesse momento temos que pensar exclusivamente em trazer um pouquinho mais de alegria e conforto para o povo brasileiro. É óbvio que isso não vai resolver os problemas do nosso país, desse Brasil grande e maravilhoso. Estamos a 15 dias de uma copa, temos de pensar exclusivamente em fazer uma grande copa”, defendeu Cafu, que se disse confiante no time convocado por Felipão, e pediu o apoio e incentivo dos brasileiros.

Marcada para o salão Nobre do Palácio do Planalto, em Brasília, a apresentação oficial da Taça atraiu a atenção dos funcionários da Presidência, que trouxeram dezenas de crianças vestidas com a camiseta da Seleção Brasileira. Antes de levantar a Taça, ao lado do lateral direito titular da seleção campeã em 2002, em gesto semelhante ao consagrado pelos vencedores de campeonatos, Dilma esperou que os pequenos tirassem fotos de seus smartphones e tablets, e até atendeu ao pedido de uma criança para que ela fotografasse, de cima, o objeto de desejo das 32 seleções que começam a disputar a competição mundial daqui a dez dias.

A Copa do Mundo começa no dia 12 com o jogo de abertura entre Brasil e Croácia, na Arena Corinthians, o Itaquerão. O Mundial terá 64 jogos. A final ocorrerá no dia 13 de julho, no Rio de Janeiro.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia