Marketing pós-digital une mundo físico ao virtual

Agência de design criada na Espanha aposta em ações com foco na experiência emocial para atrair consumidores

Por diana.dantas

Mais do que apostar em inovação, interatividade e tecnologias avançadas em busca do rejuvenescimento de suas marcas e da conquista de um espaço na cabeça do consumidor, as empresas estão preocupadas em como relacionar seus produtos e serviços à informação e à educação. Agências que cuidam da chamada comunicação pós-digital estão se especializando em atender empresas que buscam novas formas de interação. Karina Israel, diretora executiva da YDreams, agência de tecnologia e design voltada para a área de inovação, explica que as empresas buscam soluções que possam aumentar a sua relação com o consumidor por meio de experiências.

“Em todos os projetos que desenvolvemos percebemos essa necessidade. Antes, as pessoas falavam que a comunicação seria totalmente digital e nós viveríamos na frente de um aparelho, interagindo com o mundo físico pelo universo digital. Mas ser unicamente digital não é mais o que as pessoas querem e isso leva as empresas a repensarem a forma de se relacionar. As pessoas querem se emocionar e para ser lembrado é preciso criar um envolvimento da marca com o cliente, do funcionário com a empresa. Isso passa por muitos caminhos. A oferta de conhecimento é uma delas”, diz Karina, que, no Brasil, desenvolve mais de cem projetos por ano pela YDreams. O valor dos projetos varia entre R$ 100 mil a R$ 10 milhões.

Segundo ela, um dos fatores que facilita a criação de projetos pós-digitais é a redução dos custos de equipamentos. “Antes, um projetor custava o preço de um carro popular. Agora, temos equipamentos que são fabricados no Brasil e tecnologias que facilitam o acesso das empresas a ações inovadoras. Cada vez mais unir a tecnologia a ações coletivas é o caminho. São estandes interativos, museus, exposições. Tudo usando interatividade, tecnologia e informação. Estamos com um excesso de informação no mundo e, se ela for repassada de forma consciente e com credibilidade, permanece na cabeça do consumidor. Caso contrário, dura pouco”, completa ela.

De origem espanhola, a YDreams tem 65% da YDreams Brasil, sendo os 35% restantes de sócios brasileiros. No país, a empresa existe desde 2007, mas foi a partir de 2010 que os projetos mais importantes começaram a ser desenvolvidos. Entre os principais clientes da empresa estão Bradesco, Coca-Cola, Gafisa e Instituto Ayrton Senna. A agência desenvolveu, junto com a SRCom a Casa Brasil, em Londres, durante as Olimpíadas de 2012, onde espaços interativos informavam sobre a próxima cidade sede dos Jogos, o Rio de Janeiro. As arenas Fifa Fan Fest, da Copa do Mundo do Brasil, também estão no portifólio da agência. O Centro de Experiência Cervejeira, que conta a história da bebida e da cerveja Bohemia por meio de telas interativas, na fábrica da marca, em Petrópolis, é outro projeto da YDreams.

Em 2015, a empresa está lançando, este mês, uma fachada interativa no hotel WZ Jardins, na Avenida Rebouças, em São Paulo. A fachada cria padrões gráficos e visuais usando painéis de LED. A agência desenvolveu um aplicativo que permite a interação em tempo real do público com a fachada, criando grafismos. Outro projeto programado para este ano é a exposição interativa Senna Emotion, que mostra a história e os valores do piloto Ayrton Senna e será apresentada em Rio, Belo Horizonte, Brasília e Salvador. Ações ligadas a patrocinadores das Olimpíadas Rio 2016 estão em negociação.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia