Cesari Battisti é solto após ficar detido na PF em São Paulo

Habeas corpus beneficiou ex-ativista italiano, que ficou preso cerca de sete horas em prédio da Polícia Federal

Por monica.lima

Depois de passar cerca de sete horas preso na Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, o ex-ativista italiano Cesari Battisti foi solto por volta de meia-noite de ontem (12), beneficiado por um habeas corpus concedido pelo presidente do Tribunal Regional Federal da 1º Região, Cândido Ribeiro.

Battisti foi preso na tarde de quinta-feira (11), na cidade de Embu das Artes, em São Paulo, em cumprimento a um mandado expedido pela 20ª Vara da Justiça Federal no Distrito Federal. No início de março, o italiano teve o visto brasileiro cancelado. A juíza federal de primeira instância em Brasília Adverci Rates Mendes de Abreu, atendendo a pedido do Ministério Público Federal, considerou ilegal o ato do Conselho Nacional de Imigração, que concedeu a Battisti o visto de permanência definitiva no Brasil.

O ex-ativista foi condenado na Itália à prisão perpétua por homicídio. Em 2004, fugiu para o Brasil, onde foi preso três anos depois. O governo italiano pediu a extradição dele, que foi aceita pelo Supremo Tribunal Federal (STF). No entanto, no último dia de seu mandato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que Battisti deveria ficar no Brasil. O ato foi confirmado, em seguida, pelo STF.

Battisti é solto após cerca de sete horas preso na PF em São Paulo

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia