Aeroportos públicos vão seguir mesmas regras de concessionados

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil, ideia é equalizar qualidade de serviços. Aeroportos que seguirem as regras poderão ter um bônus no valor das tarifas de 1%

Por diana.dantas

Brasília - Aeroportos públicos com movimentação superior a 5 milhões de pessoas por dia terão de seguir as mesmas regras de qualidade cobradas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em relação aos aeroportos concedidos à iniciativa privada, como forma de equalizar a qualidade de serviço.

Indicadores de qualidade como disponibilidade de pontos de embarque e atendimento a passageiros portadores de necessidades especiais, entre outros, passarão a ser informados pelos aeroportos públicos à Anac. Os resultados desses indicadores, caso não sejam seguidos à risca, poderão afetar negativamente o valor do reajuste tarifário anual em até 2,5 por cento.

Os aeroportos que, por outro lado, seguirem as regras conforme as exigências da Anac poderão ter um bônus no valor das tarifas de 1%.

"A ideia é que aeroportos não concedidos tenham busca constante pela melhoria de qualidade", disse o diretor da Anac, Marcelo Guaranys, afirmando que a expectativa é de que a medida passe a valer ainda neste ano.

Guaranys espera que os impactos dessa medidas no reajuste desses aeroportos ocorra a partir de 2018.

Atualmente, os aeroportos com essa movimentação são Congonhas (SP), Santos Dumont (RJ), Salvador (BA), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Recife (PE) e Fortaleza (CE). Caso um desses seja concedido à iniciativa privada, passa a valer a regra contratual da concessão, disse Guaranys.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia