Após estado registrar vários crimes, Força Nacional começa a atuar no RS

Ao todo, 136 policiais chegaram ao estado. Agentes serão integrados ao efetivo da Brigada Militar na Operação Avante

Por rafael.nascimento

Porto Alegre - Começou  a atuar desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira o efetivo da Força Nacional no Rio Grande do Sul, que deve reforçar o trabalho de policiamento realizado pela Brigada Militar (BM), no combate à criminalidade em Porto Alegre e região Metropolitana. Ao todo,136 homens se apresentaram às 6h, após passarem a segunda-feira fazendo reconhecimento dos locais onde devem atuar.

Agentes da Força Nacional ficarão no estado por tempo indeterminadoDivulgação/Robson Alves/Brigada Militar

Segundo a Brigada Militar, a tropa federal vai reforçar o efetivo da Operação Avante, por meio da qual são realizadas blitzes e abordagens em pontos considerados mais perigosos. Os 160 homens da Brigada Militar que já atuam e realizam ações para combater o roubo de veículos, de pedestres e de estabelecimentos comerciais na cidade.

O comandante-geral da BM, coronel Alfeu Freitas Moreira, deu as boas-vindas ao efetivo nacional e agradeceu o trabalho que já vem sendo desenvolvido pelos policiais gaúchos. "Saiam e façam aquilo que melhor a polícia militar faz: tirar das ruas os meliantes que assolam a nossa comunidade, independente do tempo que fiquem presos. Essa é a missão da BM".

Brigada Militar recebe reforço da Força Nacional no patrulhamento das ruasDivulgação/Robson Alves/Brigada Militar

Os policiais militares da Força Nacional irão atuar sob a coordenação direta do Comando de Policiamento da Capital. O efetivo conta com 31 viaturas. Os policiais são equipados com pistolas calibre .40 e fuzis 5.56.

O reforço será empregado, em princípio, em ações de patrulhamento, barreiras móveis e abordagens, e em locais de grande circulação de pessoas, como as principais zonas comerciais da capital. "Na medida em que forem conhecendo a realidade e a rotina de Porto Alegre, poderemos utilizá-los em ações de maior complexidade", disse o comandante do CPC, coronel Mário Ikeda.

Os 136 homens da Força Nacional se apresentaram às 6h da manhã desta terçaDivulgação/Robson Alves/Brigada Militar


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia