Ex-presidente de partido cristão diz em gravação que usou verbas públicas para pagar prostitutas

'Eu dei dinheiro da fundação pra comer as puta (sic).... Falei 'dei mesmo e comi'. Qual o problema?', diz em áudio Vitor Jorge Abdalla Nósseis (PSC)

Por

Vitor Jorge Abdalla Nósseis, PSC
Vitor Jorge Abdalla Nósseis, PSC -

Brasília - Ex-presidente do Partido Social Cristão (PSC), Vitor Jorge Abdalla Nósseis foi flagrado em gravação dizendo que usou verbas públicas, do Fundo Partidário, para pagar prostitutas. A própria direção do partido anexou o áudio à prestação de contas de 2017 entregue ao Tribunal Superior Eleitoral.

"Eu dei dinheiro da fundação pra comer as puta (sic)... Conversa dela. Falei 'dei mesmo e comi'. Qual o problema? E agora? Vai fazer o que comigo? Dei, mas elas se formaram. Recuperei elas todas pra vida. Ce vê (sic), a Samantha é uma mesmo. A Keila é outra. Tem umas três na Europa. Já viraram, tudo virou gente. Formaram, tem mais de vinte".

Nósseis era vice-presidente da Fundação Instituto Pedro Aleixo, ligada à legenda. Também foi presidente de honra do PSC, mas acabou expulso do partido que ajudou a fundar e que passou a ser controlado pelo Pastor Everaldo, candidato a presidente em 2014. Desde então, eles disputam em instâncias partidárias e judiciais o comando da legenda. O deputado Jair Bolsonaro era do partido até março, quando se transferiu para o PSL.

A nova direção do PSC pediu ao Ministério Público de Minas Gerais para investigar o caso. Um promotor requereu que o Instituto Pedro Aleixo informe se houve repasse de dinheiro a alguma das mulheres citadas no áudio. Nósseis foi ouvido e disse que a prova (o áudio) é ilícita. "Não se pode levar em consideração uma conversa informal, descontraída, com 'animus' de instigar os malfeitores".

Comentários

Últimas de Brasil