Polícia prende mulher suspeita de mandar matar PM Juliane em Paraisópolis

Juliane desapareceu após ser identificada como policial quando estava em um bar com umas amigas. Segundo relatos, ela foi baleada duas vezes antes de ser levada por homens encapuzados

Por O Dia

PM Juliane dos Santos, desaparecida em Paraisópolis
PM Juliane dos Santos, desaparecida em Paraisópolis -

São Paulo - Uma mulher foi presa, nesta segunda-feira, suspeita de ser a mandante da morte da PM Juliane Duarte dos Santos, de 27 anos, que desapareceu no início de agosto após ir a um bar um Paraisópolis e foi encontrada morta com um tiro na cabeça no porta-malas de um carro quatro dias depois.

Eliane Cristina Oliveira Figueiredo, conhecida como “Neguinha”, atuaria no tráfico de Paraisópolis, na Zona Sul da cidade. Ela teria sido uma das quatro pessoas responsáveis torturar e assassinar Juliane.

Eliane chegou a prestar depoimento no dia 10 de agosto e seria dona do barraco onde os investigadores, na época do crime, encontraram quatro armas. Ela está presa com um mandado de prisão temporária e o caso encontra-se em segredo de justiça.

Até agora, dois suspeitos estão presos temporariamente. Um deles é Felipe Oliveira da Silva, que aparece nas imagens de uma câmera de segurança dirigindo a moto da policial numa rua perto da Praça Panamericana. Ele alega que aceitou levar a moto de Juliane para longe de Paraisópolis, mas nega envolvimento no assassinato. O outro preso teria relação com o tráfico de drogas.

 

Últimas de Brasil