'No curto prazo, não faremos oposição ao novo governo nem seremos base', diz MDB

Partido do presidente Michel Temer diz que manterá uma 'independência ativa' no governo Bolsonaro

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Michel Temer e Jair Bolsonaro
Michel Temer e Jair Bolsonaro -

São Paulo - O MDB, partido do presidente Michel Temer, vai manter uma "independência ativa" no governo de Jair Bolsonaro e no curto prazo, não fará nem oposição nem será base. "Discutiremos caso a caso", diz mensagem publicada na conta oficial do partido no Twitter.

"A partir de 1º de janeiro, o MDB manterá uma independência ativa. Apoiando medidas que buscam o crescimento do país, gestão eficiente e responsabilidade fiscal", diz uma das mensagens.

O partido defende que parlamentares conversem com o governo eleito. "Nós, enquanto partido, já deixamos nossa contribuição em forma de propostas para que os avanços que conquistamos na economia se mantenham!", afirma outra mensagem.

O MDB garantiu um ministério no governo Bolsonaro. O deputado federal reeleito Osmar Terra (RS) vai comandar a pasta de Cidadania, fruto da fusão entre o Desenvolvimento Social, Cultura, Esporte e de partes do Trabalho.

Últimas de Brasil