Novo presidente do BNDES afirma que Brasil viverá ciclo com mais espaço para o setor privado

Segundo Joaquim Levy, banco dependerá menos dos recursos da União

Por Estadão Consteúdo

Novo presidente do BNDES, Joaquim Levy, afirma que banco dependerá menos da União
Novo presidente do BNDES, Joaquim Levy, afirma que banco dependerá menos da União -

O novo presidente do BNDES, Joaquim Levy, disse na segunda que pretende revisar a contabilidade do banco de fomento para depender menos de recursos do Tesouro Nacional. "Queremos continuar ajustando o balanço do banco, como organizamos nossas contas. Queremos adequar o balanço que hoje depende de uma proporção exagerada - mas menos que era há quatro anos - dos recurso do Tesouro. Isso tem de ser corrigido para haver adequado retorno de capital", avaliou. Segundo Levy, o Tribunal de Contas da União (TCU) tem dado o suporte para essas adequações.

Levy afirmou que o BNDES prestou grandes serviços ao País e precisa continuar respondendo às expectativas da nação. "Estamos na antessala de um novo ciclo de investimentos em uma economia com mais espaço para o setor privado e o mercado de capitais", acrescentou. Segundo o novo presidente do BNDES, o papel do banco vai contribuir nesse ambiente com o desenvolvimento de novas ferramentas e novas formas de trabalhar em parceria com o mercado privado.

"Não será surpresa que a gente continue combatendo patrimonialismos e distorções que são uma trava ao crescimento do País, à Justiça e à equidade. Isso tem de continuar mudando, evitando também o voluntarismo. As ferramentas têm de ser a transparência e a ética no setor público. Assim teremos mais liberdade, mais concorrência e mais crescimento", concluiu. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Últimas de Economia