Filho do vice-presidente Mourão vai ganhar três vezes mais

Funcionário do Banco do Brasil foi promovido a assessor da diretoria

Por

Antonio: ascensão funcional -

Funcionário concursado do Banco do Brasil, o filho do vice-presidente Hamilton Mourão, Antonio Hamilton Rossell Mourão teve uma promoção que lhe valerá triplicar o salário que recebe na instituição. Assessor empresarial da área de Agronegócios, cargo de pouca expressão e com salário em torno de R$ 12 mil até domingo, na segunda-feira ele se tornou assessor especial da presidência do banco e ganhará R$ 36 mil - mais até do do que o pai, que tem vencimentos em torno de R$ 27 mil brutos.

Questionado se teve algo a ver com a promoção, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que o filho foi promovido por ter "mérito" e se queixou dos governos anteriores. "Foi duramente perseguido anteriormente por ser meu filho", disse o general ao 'Estado de S. Paulo'.

Mourão, que participou de reunião ministerial ontem, também defendeu, pelo Twitter, a nomeação do filho. "Com excelentes serviços, conduta irrepreensível e por absoluta confiança pessoal do presidente do banco foi escolhido por ele para sua assessoria. Em governos anteriores, honestidade e competência não eram valorizados", disse.

HOMEM DE CONFIANÇA

O Banco do Brasil, em nota à imprensa, disse que o cargo é de "livre provimento da presidência do BB e a nomeação atende aos critérios previstos em normas internas e no estatuto do banco".

O novo presidente do banco, Rubem Novaes, ligado ao ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o funcionário tem "excelente formação e capacidade técnica". "Antônio é de minha absoluta confiança e foi escolhido para minha assessoria, e nela continuará".

No capítulo sobre 'Conflito de Interesses' do Código de Érica e Normas de Conduta do banco, um dos itens é: "conduzir sua carreira no banco sem recorrer à intermediação de terceiros".

 

Comentários

Últimas de Brasil