Bolsonaro diz que novo AGU vai passar a defender prisão após 2ª instância

No Twitter, presidente escreveu que posicionamento de gestão anterior da AGU, em favor da prisão somente após o esgotamento de todos os recursos, será revisto

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Bolsonaro em reunião ministerial. Prisão após segunda instância também é defendida pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro
Bolsonaro em reunião ministerial. Prisão após segunda instância também é defendida pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro -

São Paulo - O presidente Jair Bolsonaro reiterou, nesta quarta-feira, seu compromisso com a prisão após segunda instância em uma mensagem no Twitter. No post, o presidente disse que seu governo vai rever o posicionamento da ex-advogada-geral da União (AGU) Grace Mendonça que defendeu o esgotamento dos recursos antes da prisão.

"No gestão anterior a AGU manifestou-se a favor da prisão somente após o esgotamento de todos os recursos. Esse posicionamento será revisto pelo nosso governo em sentido favorável ao cumprimento da pena após condenação em segunda instância. Vamos combater a impunidade!", escreveu Bolsonaro no Twitter.

Ainda em novembro, Bolsonaro anunciou André Mendonça para a AGU, em substituição a Grace. Segundo a Coluna do Estadão, o novo ministro deve enviar um parecer ao Supremo com o novo entendimento em abril, a tempo do julgamento sobre antecipação da pena. A prisão após segunda instância também é defendida pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Últimas de Brasil