Bolsonaro ironiza cobertura sobre indicação de 'amigo pessoal' na Petrobras

'Peço desculpas à grande parte da imprensa por não estar indicando inimigos para postos em meu governo!', escreveu o presidente, que anunciou na quinta-feira Nagem para o cargo

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Bolsonaro e o amigo de longa data
Bolsonaro e o amigo de longa data -

Rio - O presidente Jair Bolsonaro voltou ao Twitter nesta sexta-feira para ironizar a cobertura da imprensa em relação à nomeação de Victor Nagem para a Gerência Executiva de Inteligência e Segurança Corporativa da Petrobras.

"Peço desculpas à grande parte da imprensa por não estar indicando inimigos para postos em meu governo!", escreveu o presidente, que anunciou na quinta-feira, 10, Nagem para o cargo

Em 2016, Bolsonaro gravou um vídeo em que pede votos para Nagem, então candidato a vereador em Curitiba, e o classificou como "amigo particular": "É um homem, um cidadão que conheço há quase 30 anos. Um homem de respeito, que vai estar à disposição de vocês na Câmara lutando pelos valores familiares. E quem sabe no futuro tendo mais uma opção para nos acompanhar até Brasília", afirmou o atual presidente na ocasião.

Bolsonaro e o amigo de longa data - Reprodução / Facebook

Na quinta-feira, Bolsonaro chegou a apagar o primeiro tuíte em que anunciava Nagem para, em seguida, publicar, cerca de 40 minutos depois, um outro que excluía o seguinte trecho: "A era do indicado sem capacitação técnica acabou".

O capitão-tenente da reserva da Marinha foi indicado para assumir a gerência executiva de Inteligência e Segurança Corporativa da Petrobras. Carlos Victor Guerra Nagem é funcionário da estatal há 11 anos e atualmente trabalha em Curitiba.

Desde que ingressou na Petrobras, Nagem se licenciou em duas ocasiões, para disputar as eleições de 2002 e de 2016, usando a alcunha de Capitão Victor e filiado ao PSC (partido que Bolsonaro integrou e pelo qual foi eleito deputado federal em 2014).

Em nota, a Petrobras confirmou a indicação e afirmou que o nome de Nagem ainda "será submetido aos procedimentos internos de governança corporativa". Segundo a estatal, ele é graduado em Administração pela Escola Naval e há seis anos atua na área de Segurança Corporativa da Petrobras. A empresa afirma ainda que o indicado possui mestrado em Administração pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e tem dez anos de experiência como professor no ensino superior.

Galeria de Fotos

Bolsonaro e o amigo de longa data Reprodução / Facebook
Bolsonaro e o amigo de longa data Reprodução / Facebook

Últimas de Brasil