STF nega pedido para barrar nomeação do filho de Mourão

Ministro Dias Toffoli ressaltou na decisão que seria necessário o esgotamento dos recursos administrativos

Por O Dia

O vice-presidente General Hamilton Mourão e o Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia de posse aos presidentes dos bancos públicos.
O vice-presidente General Hamilton Mourão e o Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia de posse aos presidentes dos bancos públicos. -

Brasília - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, negou recurso que impedia a nomeação de Antonio Hamilton Rossel Mourão, filho do vice-presidente da República, para o cargo de assessor especial da presidência do Banco do Brasil. A decisão foi divulgada nesta segunda-feira pelo STF.

Funcionário há 18 anos da instituição, o filho de Hamilton Mourão foi indicado para ocupar o cargo junto com a nomeação do novo presidente do BB, Rubem Novaes. Na decisão, o ministro Toffoli ressaltou que, para recorrer à Justiça, é necessário que os recursos administrativos tenham se esgotado — o que, segundo ele, não aconteceu.

O recurso elaborado por um advogado de Campinas, interior de São Paulo, julga a nomeação como ato de nepotismo, devido ao parentesco com o vice-presidente da República. No entanto, a assessoria do Banco do Brasil afirmou na época que "a nomeação atende aos critérios previstos em normas internas e no estatuto do Banco".

 

Últimas de Brasil