Dados ‘novos’ do BNDES compartilhados por Bolsonaro já eram públicos

Presidente compartilhou dados com entusiasmo, mas informações já eram públicas desde pelo menos 2008, ainda no governo Lula

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Ex-presidente do BNDES chegou a comparar o ranking compartilhado por Bolsonaro ao personagem Galinha Pintadinha, que não existe, mas é 'bonitinha' e diverte crianças
Ex-presidente do BNDES chegou a comparar o ranking compartilhado por Bolsonaro ao personagem Galinha Pintadinha, que não existe, mas é 'bonitinha' e diverte crianças -

Rio - Compartilhado com entusiasmo nas redes sociais pelo presidente Jair Bolsonaro, o ranking de 50 maiores clientes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), divulgado nesta sexta-feira, pela instituição, já havia sido publicado no governo Michel Temer. Tabela no mesmo formato faz parte do "Livro Verde", lançado em julho 2017, na gestão de Paulo Rabello de Castro. Na ocasião, o BNDES compilou os 50 maiores clientes, considerando operações de 2001 a 2016, com valores atualizados pela inflação. Já era possível identificar a Petrobrás e a Embraer como as maiores tomadoras de empréstimos.

A ferramenta inaugurada nesta sexta-feira no site do BNDES seria resposta à demanda por mais transparência, após Bolsonaro prometer que seu governo abriria a "caixa-preta" do banco estatal.

As informações organizadas no site, contudo, usam informações que já eram públicas desde pelo menos 2008, segundo o próprio banco. Na semana passada, após a cerimônia de transmissão de cargo no Rio, o novo presidente do BNDES, Joaquim Levy, havia sinalizado que organizaria dados já existentes.

Rabello de Castro comparou o ranking divulgado ao personagem Galinha Pintadinha, que não existe, mas é "bonitinha" e diverte crianças. "Fizeram uma divulgação requentada e piorada", disse ao Estado, criticando o fato de o ranking ter agregado as operações pelo valor nominal, sem atualizar pela inflação, como no "Livro Verde".

O BNDES criou, em 2008, ainda no governo Lula, seção em seu site com informações sobre valores das 50 maiores operações. Analisar esses dados, porém, era tarefa difícil, pois eles eram apresentados em planilhas e não havia o valor consolidado por cliente. Em 2014, o banco anunciou o sistema de busca das operações por tomador de empréstimo.

A partir de 2015, já no governo Dilma, o banco começou a divulgar dados como juros, prazos e garantias. Em 2018, no governo Michel Temer, passou a informar também o ritmo de desembolsos de cada operação de crédito e o retorno líquido de cada investimento em ações. Fontes ouvidas pelo Estado ainda em novembro disseram que haveria pouco a avançar por causa das regras de sigilo bancário.

Para "abrir a caixa-preta", seria necessário divulgar informações de pareceres internos de áreas técnicas do banco. O problema é que há risco de se revelar dados sensíveis de clientes.

RANKING

Os maiores clientes do BNDES

Valor contratado (total de operações, incluindo empréstimos e aportes em ações de 2004 a 2018)

1 - Petrobras - R$ 62,429 bilhões

2 - Embraer - R$ 49,377 bilhões

3 - Norte Energia* - R$ 25,388 bilhões

4 - Vale - R$ 22,489 bilhões

5 - Odebrecht - R$ 18,133 bilhões

6 - Governo do Estado de São Paulo - R$ 14,484 bilhões

7 - TAG** - R$ 13,302 bilhões

8 - TIM - R$ 12,142 bilhões

9 - Telefônica - R$ 10,265 bilhões

10 - Fiat Chrysler - R$ 10,028 bilhões

*Consórcio operador da hidrelétrica de Belo Monte

**Operadora de gasodutos da Petrobras

Comentários