Bolsonaro diz que usará tecnologia de Israel para buscar vítimas de Brumadinho

Após sobrevoar a região onde ocorreu a ruptura de uma barragem da Vale, presidente deixou Minas sem falar com jornalistas

Por ESTADÃO CONTEÚDO

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante sobrevoo da  região atingida pelo rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho/MG
O Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante sobrevoo da região atingida pelo rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho/MG -

São Paulo - Depois de sobrevoar nesta manhã a região onde ocorreu a ruptura de uma barragem da Vale, em Brumadinho (MG), Jair Bolsonaro disse ao Coronel Estevo, comandante do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, que disponibilizará equipamentos obtidos em parceria com Israel nas buscas pelas vítimas, com tecnologia capaz de localizar pessoas que estejam enterradas.

O presidente usou o Twitter para se pronunciar sobre a tragédia. Bolsonaro, que deixou Minas sem falar com os jornalistas, escreveu: "Difícil ficar diante de todo esse cenário e não se emocionar".

O presidente afirmou que o governo fará "o que estiver ao nosso alcance para atender as vítimas, minimizar danos, apurar os fatos, cobrar justiça e prevenir novas tragédias como a de Mariana e Brumadinho, para o bem dos brasileiros e do meio ambiente". O rompimento da barragem da Vale em Brumadinho deixou, até agora, nove mortos, além de 354 pessoas desaparecidas. A empresa diz que ainda investiga as causas do rompimento.

Pouco antes de postar a mensagem, Bolsonaro havia se reunido com o governador Romeu Zema, o presidente da Vale Fabio Schvartsman, a Procuradora-Geral da República Raquel Dodge, ministros e representantes do Governo de Minas no Aeroporto de Confins. No encontro, ele colocou à disposição do Estado recursos do governo federal, como reforços nas equipes de buscas e equipamentos.

Comentários