Bolsonaro fala sobre reforma, viagem a Israel e provoca o PT

Presidente da conclusão de obra em dois anos, comentou prisão de Cesare Batisti e cessão de vistos

Por O Dia

Presidente Jair Bolsonaro em 'live' em sua página no Facebook
Presidente Jair Bolsonaro em 'live' em sua página no Facebook -

Rio - Em uma transmissão ao vivo no Facebook, nesta quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) falou sobre reforma da previdência, viagem a Israel, leilão da ferrovia norte-sul, caso Cesare Batisti e cessão de vistos para turistas, além de provocar o Partido dos Trabalhadores (PT) O pronunciamento contou com a presença do Ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo e durou aproximadamente 15 minutos.

Sobre a Reforma da Previdência, o presidente brincou que gostaria que todos se aposentassem cedo, mas que a medida é "para que o Brasil não quebre". Ele se mostrou entusiasmado com a proposta que deve ir para a Câmara e pro Senado. Também falou que modificações serão feitas conforme os parlamentares acharem melhor, mas que a medida é essencial e necessária para o país.

Bolsonaro também comentou do leilão da Ferrovia Norte-Sul realizado hoje em São Paulo e, segundo ele, a obra que dura há mais de 30 anos, deve ficar pronta em dois anos. A cessão dos vistos para turistas dos países Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão foi outra questão discutida por Bolsonaro na trasmissão ao vivo. De acordo com ele, a medida deve movimentar o país, aumentar fluxo de turistas e interesse em vir para o Brasil e gerar empregos. Além disso, o Ministro Ernesto Araújo disse que a medida deve gerar, pelo menos, 1 bilhão de dólares por ano adicional, em questão de renda para o país.

A extradição de Cesare Batisti também rendeu comentários do presidente, que provocou o governo do PT e a esquerda da política brasileira. "O Brasil deixa de ser um paraíso de terroristas, usando o manto de preso político ou de refugiado", disse o presidente.

No próximo sábado, Bolsonaro deve ir a Israel, em uma viagem para conhecer processos de irrigação, agricultura e piscicultura, entre outros. Além disso, ele comentou de um possível "intercâmbio" de estudantes para conhecerem as técnicas utilizadas no deserto.

Comentários