Ex-presidente do Peru se suicida

Alan Garcia dá tiro na própria cabeça quando policiais chegam para prendê-lo

Por O Dia

García: investigado sobre propina
García: investigado sobre propina -

O ex-presidente do Peru Alan García, 69 anos, cometeu suicídio ontem, com um tiro na cabeça quando policiais chegaram em sua casa, em Lima, para prendê-lo por causa da investigação sobre suborno no caso relacionado à construtora brasileira Odebrecht. Ele chegou a ser levado para um hospital, mas não resistiu. 

Segundo funcionários, quando a polícia apareceu, García pediu licença, entrou em seu quarto e fechou a porta. Poucos depois, um disparo foi ouvido. O diretor do hospital Casimiro Ulloa, Enrique Gutiérrez, informou que García sofreu  três paradas cardiorrespiratórias. Às 10h05 locais (12h05 de Brasília), ele morreu por hemorragia cerebral massiva e parada respiratória, conforme informou o Ministério da Saúde. 

"O presidente García tomou uma decisão de dignidade e de honra. Um ato de honra diante de perseguição fascista", disse Mauricio Mulder, da Apra, o partido mais antigo do Peru, ao qual pertencia o ex-presidente. Mulder acrescentou que o corpo de García será velado na sede da Apra, em Lima. O atual presidente, Martín Vizcarra, disse no Twitter que estava consternado.

Segundo a ordem judicial, a autorização para prender García foi emitida sob argumento de que ele teria recebido US$ 100 mil da Odebrecht pagos de forma disfarçada como o cachê de uma conferência que teria sido realizada em São Paulo, em 2012. Ele foi presidente de 1985 a 1990 e de 2006 a 2011.  García também estava sob investigação por supostas propinas pagas pela Odebrecht para obter um contrato de construção para o metrô de Lima durante seu segundo mandato.

 

Comentários