O presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) - José Cruz/Agência Brasil
O presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP)José Cruz/Agência Brasil
Por *LUIZ FRANCO

Goiás - O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, em companhia de outros senadores e do governador de Goiás, Ronaldo Caiado, visitou a mineradora Sama, no norte do estado, e discursou em favor da liberação do amianto, substância cancerígena proibida no Brasil por decisão do STF em 2017.

Um vídeo sobre a viagem foi publicado no Twitter oficial do Senado Federal e gerou revolta em internautas, chegando aos trending topics (assuntos mais comentados) do Twitter no Brasil. No vídeo, Alcolumbre e outros senadores dizem que vão "se empenhar" pela liberação do amianto.

O amianto é uma fibra mineral extraída de rochas, usada para a fabricação de telhas e caixas d'água. Ele foi amplamente explorado por mineradoras brasileiras por ser barato, abundante e resistente. No entanto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) o incluiu na categoria de substâncias cancerígenas e determinou que não há níveis seguros para seu uso. Além do Brasil, ele é proibido em mais de 60 países, incluindo França, Alemanhã, Dinamarca e Uruguai. 

A Eternit, empresa que controla a mineradora, e a própria Sama, sofrem diversos processos por expor trabalhadores ao amianto.

O site do Instituto Nacional do Câncer (INCA) reforça que o minério é "classificado como reconhecidamente cancerígeno para os seres humanos", podendo causar "câncer de pulmão, asbestose, mesotelioma, câncer de laringe, câncer do trato digestivo, câncer de ovário, espessamento na pleura e diafragma, derrames pleurais, placas pleurais e severos distúrbios respiratórios". O site conclui que "todas as formas e tipos de amianto são cancerígenos" e "o banimento desta substância na indústria brasileira é definitivo".

O presidente da Associação Brasileira Dos Expostos Ao Amianto (ABREA), Eliezer de Souza, ele próprio contaminado pela exposição ao amianto, classificou a visita e a declaração de Davi Alcolumbre como "um absurdo" e lembrou que Caiado "sempre foi o líder do lobby do amianto no congresso quando era deputado federal", chegando a receber financiamento da Sama para suas campanhas. 

*Estagiário sob supervisão de Bruno Ferreira

Você pode gostar
Comentários