UFRJ perdeu 41% de seu orçamento na última semana - Estefan Radovicz / Agência O Dia
UFRJ perdeu 41% de seu orçamento na última semanaEstefan Radovicz / Agência O Dia
Por O Dia
Rio - O governo federal cortou 65 bolsas de pós-graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Os cortes aconteceram benefícios concedidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal (Capes), do Ministério da Educação. Foram 33 bolsas de mestrado, 22 de doutorado e 10 de pós-doutorado dos programas Demanda Social (DS) e Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD) da universidade.
Os cortes acontecem uma semana depois de o governo federal anunciar o contingenciamento de 41% do orçamento da UFRJ. A Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PR-2) da universidade ainda avalia a situação das bolsas do Programa de Excelência Acadêmica (Proex).
Publicidade
De acordo com a UFRJ os programas que sofreram cortes possuem notas de 3 a 5 na Capes, cuja nota máxima de avaliação é 7. Estas bolsas estavam reservadas, por exemplo, para pós-graduandos em processo de seleção. Quando um estudante conclui o mestrado, a bolsa fica disponível para os próximos da fila. O corte ocorreu nesse intervalo.
Publicidade
"Há uma ruptura de expectativa do pesquisador que se preparou para entrar no mestrado ou doutorado e que vislumbrava algum suporte para realizar a pesquisa", avalia a pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da UFRJ, Leila Rodrigues da Silva. "Afinal, não é um projeto pessoal, é institucional, visando o bem-estar da sociedade".
Publicidade
O Conselho Universitário da UFRJ (Consuni) divulgou, na tarde desta quinta-feira, uma nota de repúdio contra os cortes; confira o texto na íntegra!
"O Consuni manifesta sua contrariedade em relação aos cortes e bloqueios de recursos promovidos pelo governo federal. Tais ações têm causado intranquilidade à comunidade acadêmica, que teme que os avanços alcançados nos últimos anos pelo Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia sejam comprometidos, colocando em risco todo o patrimônio científico arduamente construído por gerações de pesquisadores em prol de toda a sociedade.
Publicidade
Como parte do conjunto de medidas que têm reduzido os recursos destinados à Educação e à Ciência, ontem, dia 08 de maio de 2019, em ofício enviado pela Capes (nº 1/2019-GAB/PR/CAPES), fomos oficialmente informados que tal agência teria decidido 'recolher' bolsas dos programas de Demanda Social (DS) e Programa Nacional de Pós-Doutoramento (PROAP), dentre outros.
Considerando o papel central que tais bolsas ocupam para a pesquisa e para a formação de recursos humanos e certos de que a Capes se manterá comprometida com suas atribuições de promoção da ciência e tecnologia em nosso país, seguiremos na busca de entendimento com esta agência no sentido de que reveja sua decisão".