O presidente Jair Bolsonaro, em Dallas (EUA), faz transmissão ao vivo para as redes sociais - Marcos Corrêa/PR
O presidente Jair Bolsonaro, em Dallas (EUA), faz transmissão ao vivo para as redes sociaisMarcos Corrêa/PR
Por O Dia
Dallas - O presidente Jair Bolsonaro disse na quinta-feira que quer destinar os recursos devolvidos pela Petrobras em acordo firmado com autoridades nos EUA pela Lava Jato para educação e pesquisa. Ele disse que quer ajuda da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para fazer a transferência de recursos.
"Vamos levar esse recurso para a educação. Eu gostaria de, em parte, levar para o Ministério de Ciência e Tecnologia porque precisamos investir em pesquisa", disse em transmissão no Facebook.
Publicidade
Um acordo foi homologado pela juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal em Curitiba, em janeiro deste ano entre a força-tarefa da Operação Lava Jato e o governo dos Estados Unidos para ressarcimento dos prejuízos causados a investidores norte-americanos pelos casos de corrupção na Petrobras. Pelos termos do acordo, parte da multa, de aproximadamente R$ 2 bilhões, seria enviada para uma fundação de interesse social, a ser criada pela força-tarefa, que também faria a gestão dos recursos.
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, entrou, em março, com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para anular o acordo feito. Na ação, Dodge diz que o Ministério Público Federal (MPF) não tem poderes para gerir recursos e a Justiça Federal não tem competência para homologar o acordo.
Publicidade
A declaração de Bolsonaro veio no dia seguinte a protestos em todo país contra cortes do ministro da Educação, Abraham Weintraub, no orçamento das universidades e institutos federais. No dia das manifestações Bolsonaro chamou os alunos de "idiotas úteis" e "massa de manobra".