Hospital São Camilo nega que tenha divulgado morte de baterista do RPM

Paulo Antônio Pagni está internado em estado grave na unidade, em São Paulo

Por Beatriz Perez

P.A., baterista do RPM
P.A., baterista do RPM -
São Paulo - O Hospital São Camilo, onde o baterista Paulo Antônio Pagni está internado, em São Paulo, informou que o músico está em estado grave na UTI, com ventilação realizada em traqueostomia. Ele deu entrada pelo Pronto-Socorro no dia 14 de maio com quadro grave de infecção pulmonar e insuficiência respiratória. A unidade acrescentou que nenhuma informação de estado de saúde de qualquer paciente é passada antes do contato com a família e que não divulgou oficialmente nenhuma afirmação de que o baterista teria morrido.
A assessoria da banda esclareceu que a clínica Good Master, onde o P.A estava internado antes de ser transferido ao hospital, que comunicou equivocadamente a morte do músico. A informação errada foi publicada em um grupo da equipe de saúde da clínica. O grupo disse que não haverá desdobramento jurídico do caso e que o baterista está sendo muito bem atendido.
O vocalista Fernando Deluqui, vocalista e guitarrista do RPM, divulgou um vídeo no início da noite de domingo chamando de uma "tremenda confusão" a divulgação, mais cedo, por parte da banda, da morte do baterista Paulo Antônio Pagni.

Deluqui conta que recebeu uma ligação da clínica onde o amigo estava internado, dizendo que ele havia morrido. O músico ligou para o médico que acompanha Paulo Antônio, que confirmou a informação. Ele então passou na casa de P.A., pegou alguns documentos e, quando chegou ao hospital, "para alívio", descobriu que o amigo estava vivo. O músico, de 61 anos, luta contra fibrose pulmonar.
"Agora a gente está querendo saber o que aconteceu, que engano foi esse. Estamos esperando o Dr. Alex Muller Coutinho e o Hospital São Camilo entrarem em contato para explicar o que aconteceu. Enquanto isso, o Paulo continua na UTI em estado gravíssimo. Quem puder, faça orações por ele", disse Deluqui.

A notícia da morte foi divulgada pela assessoria da banda, por meio de uma publicação na página oficial do RPM nas redes sociais.

Na nota, a banda pedia compreensão no momento de dor e boas vibrações. "Infelizmente temos a tristeza de anunciar o falecimento do nosso querido e eterno baterista, Paulo Antônio Figueiredo Pagni, o P.A. Nosso irmão partiu poucos momentos atrás, mas seu legado será eternamente lembrado."

No sábado, o ex- vocalista da banda Paulo Ricardo publicou uma foto com o baterista em seu perfil no Instagram com informações sobre a doença. "Ocorre quando o tecido pulmonar é danificado e forma cicatrizes, endurecendo e prejudicando a elasticidade e troca gasosa", dizia. No início da tarde deste domingo, a publicação foi deletada da rede social do cantor.
A assessoria de imprensa da banda ainda não se posicionou sobre o desmentido do hospital. O espaço está aberto para manifestação. 
A banda

Sucesso na década de 1980, o RPM se separou várias vezes nos últimos anos. Após uma série de brigas e discussões, no ano passado a banda anunciou que iria voltar a compor sem a participação de Paulo Ricardo nos vocais, uma atitude decidida após disputa judicial.

No mais recente anúncio, a banda disse que sairia em turnê com nova composição: Dioy Pallon (voz e baixo), Fernando Deluqui (voz e guitarra), P.A. na bateria e o tecladista Luiz Schiavon, fundadores da banda.

Comentários