Receita Federal apreende mais de 1,2 tonelada de cocaína no Porto de Itajaí

Droga tinha como destino a Bélgica e apreensão está entre as maiores já ocorridas no Porto. Receita realizou também outras apreensões, no âmbito da Operação Muralha

Por O Dia

Receita Federal
Receita Federal -
Brasília - A Receita Federal apreendeu mais de 1,2 tonelada de cocaína no Porto de Itajaí, em Santa Catarina, nesta quinta-feira. A droga, proveniente de Canela, no Rio Grande do Sul, foi localizada em uma carga de madeira dentro de um contêiner, por meio das imagens de escâner, e tinha como destino final a Bélgica. A apreensão está entre as maiores já ocorridas no Porto de Itajaí.
A Polícia Federal e a Receita Federal ainda irão investigar se os importadores e exportadores do material têm relação com a cocaína.
Outras apreensões
Na noite de quarta-feira, durante a Operação Muralha, a Receita Federal já havia apreendido R$ 150 mil em eletrônicos sem comprovação fiscal, em São Miguel do Iguaçu, no Paraná. A mercadoria estava em um veículo dirigido por moradores de Santa Terezinha de Itaipu, e tinha como destino São Miguel do Iguaçu.
No dia anterior, agentes que trabalhavam na mesma operação apreenderam diversas mercadorias escondidas no fundo falso de um ônibus que fazia a linha Foz do Iguaçu – Florianópolis. Cerca de US$ 20 mil dólares foram retidos, na forma de produtos como perfumes, smartphones e relógios. Ninguém foi preso, e o ônibus foi encaminhado para a Alfândega da Receita Federal, em Foz do Iguaçu, no Paraná. 
Na última sexta-feira, ainda no âmbito da Operação Muralha, uma estudante de Direito de 22 anos foi encontrada com cerca de mil peças de memórias para computador no porta-malas do carro, também em Foz do Iguaçu. Ela afirmou que trabalhava com as mercadorias, estimadas no valor de mais de R$ 80 mil. A motorista foi liberada, porém será enviada uma representação fiscal para fins penais ao Ministério Público, para apuração dos ilícitos. O veículo e as mercadorias foram enviados à Alfândega da Receita Federal, em Foz do Iguaçu.
 

Comentários