Jean Wyllys fala de processos e vitórias contra fake news

O ex-deputado federal do PSOL está afastado do seu cargo devido a diversas ameaças

Por O Dia

Jean Wyllys
Jean Wyllys -
São Paulo - Afastado do seu cargo devido a diversas ameaças, o ex-deputado federal do PSOL, Jean Wyllys, conversou com o ‘Observatório G’, em seu autoexílio na Alemanha. Lá, ele está estudando para terminar seu doutorado e acompanha de perto, pela redes sociais, tudo o que acontece na política brasileira.

Vários são os nomes daqueles que foram condenados a pagar indenização a Jean. Entre eles citamos o ator e deputado Alexandre Frota, a deputada do PSL Carla Zambelli, o youtuber Nando Moura e até o padre José Cândido.

Ele diz que é difícil combater de longe as notícias falsas que utilizam seu nome como pano de fundo e que combater essas ‘fake news’ e artigos difamatórios está cada vez mais complicado.

Ele reclama da lentidão da justiça brasileira e cobra pessoalmente o Ministro Sérgio Moro pela falta de investimentos nas investigações que envolvem seu nome.

Desde que saiu do Brasil ele diz que são inúmeros casos que ele aguarda decisão judicial, sem sucesso. Existem em abertos ações civis e criminais, além de investigações policiais ainda em andamento. Ele disse que, mesmo fora, já conseguiu retirar mais de um milhão de publicações e compartilhamentos difamatórios envolvendo seu nome nas redes sociais, isso só no período eleitoral.

Apesar de confiar na justiça e ter fé de que tudo vai se resolver, Jean ainda fica indignado com a demora nas investigações da Polícia Federal em relação à rede criminosa de notícias falsas que anda assolando o país.

“Apesar dessas conquistas na Justiça, há algo que considero gravíssimo, gravíssimo: a inépcia da PF (Polícia Federal) para descobrir quem está por trás e quem financia a rede de notícias mentirosas e calúnias contra mim e outras pessoas. Como a PF foi tão eficaz em chegar a um hacker que passou à imprensa informações verdadeiras sobre o ministro da Justiça, Sérgio Moro, mas não descobre quem está por trás do perfil apócrifo que alimenta com mentiras e teorias conspiratórias do site O Antagonista? Será que a PF virou uma polícia política? Precisamos saber!”, disse ele.

Mesmo depois do seu afastamento do Brasil e seu desligamento da vida política, Jean Wyllys continuou sendo alvo de ‘fake news’.

“Ratinho, por exemplo, está sendo processado por usar seu programa para me difamar, com um discurso fingindo ignorância. Alguém que ganha o que ele ganha não pode fingir que não tem acesso à verdade dos fatos. Alguém que trabalha com comunicação e tem um filho deputado não pode se fingir de ingênuo ou desavisado sobre uma mentira ou uma calúnia”, finalizou o ex-BBB.