Procurador que esfaqueou juíza vai para unidade psiquiátrica

Procurador Nacional Matheus Carneiro Assunção será transferido para uma ala psiquiátrica do Complexo Prisional de Tremembé, conhecido por ser a 'prisão dos famosos'

Por IG - Último Segundo

Procurador feriu juíza com uma faca
Procurador feriu juíza com uma faca -
São Paulo - O procurador da Fazenda Nacional Matheus Carneiro Assunção, preso em flagrante, nesta quinta-feira, por tentar matar a juíza Louise Filgueiras a facadas, será transferido para o Complexo Prisional de Tremembé Tremembé, no interior de São Paulo, numa ala dedicada à psiquiatria. Hoje Assunção passou por uma audiência de custódia e a juíza Andréa Sarney decidiu manter o agressor preso.

Assunção entrou ontem o prédio do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), invadiu o escritório de Louise e tentou golpeá-la com facadas. Ela ficou levemente ferida no pescoço.

Funcionários à polícia disseram que Assunção parecia estar em surto psicótico e gritava que estava ali "tentando acabar com a corrupção". A juíza havia sido convocada para substituir o desembargador Paulo Fontes, que está de férias.

Ainda segundo testemunhas, o procurador jogou uma jarra de água contra a juíza, que já estava ferida pelo golpe de faca. O corte foi superficial, segundo a polícia.

Segundo o site Consultor Jurídico, os seguranças que o detiveram disseram que ele afirmava que deveria ter entrado armado no tribunal, “para fazer o que Janot deixou de fazer”.

Na semana passada, o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot deu entrevista à imprensa em que dizia ter tentado matar Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), com um tiro. Ele teria entrado armado na Corte e chegado a engatinhar a arma.

"Prisão dos famosos"

Tremembé é conhecida como a "prisão dos famosos". No local, estão presos notórios por terem cometido crimes de grande repercussão no país. Não há só presos condenados por homicídios, estupros e roubos, por exemplo, mas também uma série de criminosos de colarinho branco, como o empresário Marcos Valério, um dos personagens centrais do mensalão. Paulo Preto, ex-diretor da Dersa, também ficou preso em Tremembé por 35 dias em 2018, após ser apontado como operador do PSDB.

O presídio também abriga Alexandre Nardoni, condenado em 2010 pela morte da filha, Isabella Nardoni. Os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos, e Suzane von Richthofen também estão presos no mesmo complexo desde 2002, quando foram acusados pelo assassinato dos pais de Suzane.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários