Substância tóxica usada em sistemas de refrigeração foi encontrada em dezenas de lotes de diferentes rótulos de cervejas produzidas pela cervejaria mineira Backer - Divulgação
Substância tóxica usada em sistemas de refrigeração foi encontrada em dezenas de lotes de diferentes rótulos de cervejas produzidas pela cervejaria mineira BackerDivulgação
Por ESTADÃO CONTEÚDO
Brasília - O Ministério da Agricultura confirmou, nesta quarta-feira, que a fábrica mineira Backer usou água contaminada na produção de suas cervejas. A análise do Ministério detectou que a contaminação ocorreu dentro da cervejaria, mas ainda não há conclusão sobre a forma como isso aconteceu.

O Pasta considera como hipóteses, por exemplo, o uso indevido do dietilenoglicol, sabotagem e vazamento do produto na água.

O Ministério anunciou já ter encontrado seis lotes contaminados da cerveja Belorizontina e uma da Capixaba.

Já foram confirmadas duas mortes por intoxicação e um terceiro óbito está sendo investigado se teria o mesmo motivo.

Segundo o ministério, diversos tanques da fábrica estavam contaminados.