Jornalista argentino do diário 'Olé' morre afogado em praia brasileira

Marcelo Pagliaccio voltava de uma festa e iria voltar à pousada onde estava hospedado em Florianópolis, quando alguns amigos decidiram mergulhar no mar durante o amanhecer

Por O Dia

Marcelo Pagliaccio, de 32 anos, trabalhava no jornal esportivo Diário Olé
Marcelo Pagliaccio, de 32 anos, trabalhava no jornal esportivo Diário Olé -
Canavieiras - Um jornalista argentino morreu afogado na praia de Canavieiras, em Florianópolis, na manhã de quarta-feira. Marcelo Pagliaccio, de 32 anos, que trabalhava no jornal esportivo argentino 'Olé' estava de férias no Brasil.
Marcelo voltava de uma festa e iria voltar à pousada onde estava hospedado em Florianópolis, quando alguns amigos decidiram mergulhar no mar durante o amanhecer. 
Os amigos contam que o jovem desapareceu, não em alto mar, mas muito perto da costa. Quando perceberam o que estava acontecendo, os amigos imediatamente praticaram RCP (Reanimação Cardiopulmonar) na praia. A vítima parecia reagir. Mas, segundo os médicos, ele engoliu muita água e morreu durante a transferência para o hospital.
A família de Marcelo recebeu prontamente ajuda do consulado argentino no Brasil. Suas irmãs viajam ao Brasil nesta quinta-feira para repatriar o corpo nas próximas horas.
"Dor e mais dor. Porque se foi um grande rapaz. Porque tinha muito a viver. Porque Paglia, como todos chamamos, era isso: um grande garoto. Olé está de luto", escreveram seus colegas de trabalho em uma nota.
A mesma nota diz que Marcelo tinha 32 anos. Ele estava na redação há cerca de dez anos. "Ele cresceu como jornalista, com todos. Ele era fã do futebol italiano e da Fiorentina em particular, era um artilheiro poderoso e usava ironia", lembraram os colegas.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários