Israel anuncia descoberta de anticorpo para a covid-19 - Divulgação
Israel anuncia descoberta de anticorpo para a covid-19Divulgação
Por O Dia
Brasília - O Ministério da Saúde confirmou no fim da manhã desta quinta-feira o quarto caso de coronavírus no Brasil. A paciente é uma adolescente de 13 anos. Ela retornou da Itália nesse domingo (1º). A pasta demorou a confirmar o caso porque apesar da presença do vírus, ela não apresentava sintomas.
No entanto, quatro elementos levaram o Ministério a confirmar o caso: o fato dela ter vindo da Itália, país considerado monitorado, o resultado positivo da contraprova, a possibilidade de medicações terem mascarado os sintomas e o fato da paciente ainda poder vir a apresentar os sintomas nos próximos dias. 
Publicidade
Ao anunciar o terceiro caso de infecção confirmado no país, na quarta-feira, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, comentou o caso da jovem que esteve na Itália e que aguardava o resultado de um exame de contraprova. A adolescente foi atendida em hospital na Itália após apresentar uma lesão de ligamento. De acordo com o ministério, mais exames estão sendo realizados para avaliar, por exemplo, se o uso de medicamentos pela jovem poderia inibir os sintomas da infecção pelo novo coronavírus.

"Outras análises estão sendo realizadas, que devem mostrar situações como carga viral e potencial de transmissão, supressão de sintomas por uso de medicamentos (foi atendida em hospital italiano por lesão de ligamento) e histórico dos familiares que a acompanharam na viagem", informa a nota.

Casos confirmados de infecção por Covid-19
1ª Caso: Trata-se de um homem de 61 anos, morador da cidade de São Paulo, que esteve na região da Lombardia, no norte da Itália, entre os dias 9 e 21 de fevereiro. Ao retornar da viagem, na última sexta-feira (21), o paciente apresentou os sinais e sintomas compatíveis com a doença (febre, tosse seca, dor de garganta e coriza).

2º Caso: O paciente, um homem de 32 anos, esteve na Itália e chegou ao Brasil na quinta-feira (27). Ele chegou acompanhado da mulher de Milão, na região da Lombardia. Ainda no voo usou máscara e a acompanhante não apresenta sintomas da doença. O paciente foi atendido no Hospital Israelita Albert Einstein na sexta-feira (28). Durante o atendimento, o viajante relatou febre, tosse, dor de garganta, dor muscular e dor de cabeça. O quadro clínico foi considerado leve e estável.

3° Caso: Trata-se de um homem colombiano, de 46 anos, que mora em São Paulo. Em fevereiro, o paciente visitou a Espanha, Itália, Áustria e Alemanha.
Publicidade
4º Caso: Adolescente de 13 anos retornou da Itália no domingo (1º). A pasta demorou a confirmar o caso porque apesar da presença do vírus, ela não apresentava sintomas.

Testes no país
No Brasil, laboratórios públicos ou privados que identificarem casos confirmados da doença pela primeira vez, devem passar por validação de um dos três laboratórios de referência nacional: Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz); Instituto Evandro Chagas, no Pará; e Instituto Adolfo Lutz em São Paulo. Após a validação da qualidade, o laboratório passa a ser considerado parte da Rede Nacional de Alerta e Resposta às Emergências em Saúde Pública.

A jovem teve amostra de sangue coletada, na terça-feira (3), e encaminhada ao Laboratório Fleury. O resultado foi positivo e uma contraprova, realizada pelo Instituto Adolfo Lutz, comprovou o resultado do laboratório particular.

Ontem (4) a Fiocruz começou a distribuir, no Rio de Janeiro, kits para o diagnóstico do novo coronavírus para laboratórios centrais estaduais, que também passarão por um processo de capacitação para a realização dos testes.

Os kits foram desenvolvidos no Brasil pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz) e pelo Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP). Já a capacitação será conduzida pelo Laboratório de Vírus Respiratório e Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz.
Publicidade
* Com Agência Brasil