Idosa de 87 anos confecciona máscaras para doar para população

Por recomendação de organizações da área da saúde, o item deve ser usado apenas por grupos específicos

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Bernarda Alves da Costa, de 87 anos, costurou cerca de 20 máscaras em um dia
Bernarda Alves da Costa, de 87 anos, costurou cerca de 20 máscaras em um dia -
Em meio à pandemia do novo coronavírus, um dos produtos mais procurados pela população são as máscaras cirúrgicas. Por recomendação de organizações da área da saúde, o item deve ser usado apenas por grupos específicos. Ainda assim, o produto está em falta em vários locais, e algumas pessoas começaram a produzir máscaras em casa.

É o caso de Renatha Maria Vieira da Costa, professora formada em biologia e engenharia civil, que pediu para a avó, Bernarda Alves da Costa, de 87 anos, costurar máscaras feitas a partir de TNT, que são impermeabilizadas.

Renatha, que mora em Santa Quitéria do Maranhão, relata que a ideia veio após o sumiço das máscaras nas lojas de Parnaíba, onde trabalha. Médicos da cidade ensinaram ela e outras pessoas a fazer máscaras caseiras, e ela teve a ideia de produzir para distribuir em Santa Quitéria, que também está sem o produto. "Minha avó aceitou desde que as máscaras fossem doadas para os idosos da cidade", lembra Renata.

Apenas com a avó foram produzidas cerca de 20 máscaras em um dia, mas a ação chamou atenção e outras costureiras decidiram ajudar. Sobre a avó, Renata comenta que a avó tem a costura como distração: "a costura é por hobby, ela passou a vida costurando. Ela já não enxerga bem, mas ainda costura. A gente coloca a linha na agulha e ela fica costurando".

Quando usar máscara?

A infectologista Raquel Muarrek, que atua na rede D'ior, explica que apenas pessoas com sintomas associados a covid-19 devem usar máscaras para evitar passar o novo coronavírus para outras pessoas. Profissionais da saúde também devem usar o produto.

Para aqueles sem sintomas, porém, a principal recomendação é ficar em casa e higienizar as mãos com água e sabão ou álcool em gel. Pessoas que não apresentam sintomas não precisam usar máscara.

A médica explica que o tecido ideal para máscaras é o algodão grosso, usado nas máscaras hospitalares. Tecidos e outros materiais podem oferecer proteção, mas Raquel destaca que será menor do que a oferecida por máscaras de algodão.

Além disso, a infectologista ressalta: "deve-se ficar atento a lesões, fissuras e desgastes [na máscara], pois aí pode ocorrer contaminação". É necessário também que a máscara seja trocada com frequência, em especial se ficar úmida.

Comentários