PM de São Paulo prende acusado de participar da morte de Dorothy Stang

Missionária foi assassinada com seis tiros, em uma estrada rural de Anapu, em 2005

Por Agência Brasil

Missionária Dorothy Stang foi assassinada com seis tiros, em uma estrada rural de Anapu, em 2005
Missionária Dorothy Stang foi assassinada com seis tiros, em uma estrada rural de Anapu, em 2005 -
São Paulo - A Polícia Militar de São Paulo informou que prendeu em Itapetininga, interior do estado, um dos acusados de envolvimento no assassinato da missionária Dorothy Stang. O crime contra a religiosa norte-americana ocorreu em 2005 em Anapu, no oeste do Pará.

Segundo a corporação, a prisão foi feita após o recebimento de uma denúncia de que o suspeito tinha sido visto no bairro de Vila Nova. De acordo com os policiais, ele estava em frente a uma casa e tentou fugir quando percebeu a presença das viaturas. No interior da residência foram encontrados documentos falsos.

Na delegacia foi confirmado que havia um mandado de prisão contra o acusado emitido em 2013, em Marabá, no Pará. A reportagem da Agência Brasil entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo, que não divulgou o nome do preso.

O crime
Dorothy Stang foi assassinada com seis tiros, em uma estrada rural de Anapu. Conhecida por defender, junto com representantes de sindicatos rurais e da Pastoral da Terra, melhores condições de vida e de trabalho para a população da região, a missionária estava a caminho do Projeto de Desenvolvimento Sustentável Esperança, do qual era considerada uma das principais líderes, quando foi morta.

Comentários