Governo antecipa vacinação contra gripe comum para povos indígenas

Um adolescente da etnia Yanomami morreu na última quinta-feira, em Roraima, infectado pelo vírus

Por ESTADÃO CONTEÚDO , Estadão Conteúdo

Estados com mais registros no ano passado foram Roraima, onde ocorreram 62 homicídios, e Mato Grosso do Sul, onde foram contabilizadas 38 mortes
Estados com mais registros no ano passado foram Roraima, onde ocorreram 62 homicídios, e Mato Grosso do Sul, onde foram contabilizadas 38 mortes -
O Ministério da Saúde antecipou a vacinação contra a gripe comum para povos indígenas para a segunda fase da campanha nacional. A informação foi dada pelo ministro Luiz Henrique Mandetta, nesta terça-feira, em entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

A campanha começa na próxima quinta-feira, 16, e vai até o dia 22 de maio. Também estão incluídos nesta nova etapa os profissionais de segurança, caminhoneiros, profissionais de transportes coletivos, portuários, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, funcionários do sistema prisional, adolescente em medida socioeducativa e presos.

"A meta é vacinar 90% dos públicos prioritários em todas as fases da campanha", disse. A saúde dos povos indígenas subiu a um nível de extra de preocupação por conta da chegada do novo coronavírus em aldeias. Um adolescente da etnia Yanomami, de 15 anos, que estava infectado pelo novo coronavírus morreu no último dia 9, em Roraima.

Comentários