No Twitter, bolsonaristas passam a criticar condução de Moro à frente da Justiça

Após anúncio de saída, base de apoio do presidente começou a criticar atuação de ex-juiz

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Manifestação a favor de Bolsonaro em Copacabana
Manifestação a favor de Bolsonaro em Copacabana -
São Paulo - Pouco mais de três horas depois de Sérgio Moro pedir demissão do cargo de ministro da Justiça, usuários do Twitter que permanecem fiéis ao presidente Jair Bolsonaro tentam organizar e publicizar ações em defesa do governo e levantar críticas à maneira como Moro conduziu o ministério.

Nas últimas horas desta sexta-feira, considerando os 20 assuntos mais relevantes do Twitter brasileiro, nenhum deles era elogioso ao presidente da República. Apoiadores do governo, no entanto, tentam levantar a hashtag #FechadosComBolsonaro. Entre os que aderiram à campanha virtual aparecem os argumentos de que Moro teria sido omisso durante o tempo em que comandou a pasta da Justiça e da Segurança Pública, especialmente em relação à investigação da tentativa de assassinato sofrida por Bolsonaro durante a campanha de 2018 e também em relação a supostos abusos cometidos por governadores cujos Estados aderiram à quarentena para lidar com a pandemia da covid-19.

"Esta na Cara amigos... 1-Quem mandou Matar Jair Mesias Bolsonaro ???? 2-Oque a PF fez ate agora? 3-A PF prende o Maior criminoso do Brasil Lider do PCC mas nao consegue descobrir que mando Adelio ???? 4-Oque Moro fez nesse sentido ?", tuitou um usuário identificado como Daniel Direita. Outro usuário, com o nome Eneias Lopes Rose, escreveu que Moro está "jogando o presidente aos inimigos do Brasil"

Silvio Grimaldo, que já foi assessor especial do Ministério da Saúde durante a gestão de Ricardo Vélez, provocou: "Será que agora teremos uma ministro da justiça que se pronuncie contra o abusos ditatoriais cometidos por governadores e prefeitos contra a população e por cima da constituição?".

Outro usuário, identificado como Guilherme, disse que Moro foi um juiz "nota 8 e um ministro nota 5". Para ele, como juiz Moro "protegeu FHC e PSDB" e como ministro foi "desarmamentista, compactuou com os abusos dos governadores e não investigou Adélio", em referência a Adélio Bispo, autor do atentado contra Bolsonaro. Para o usuário Gighinni, a demissão de Moro tem objetivo eleitoral e configura traição a Bolsonaro: "Moro quer ser presidente, e eu digo, jamais será. Um traidor nas horas difíceis, não merece ser nem ministro. Aguardamos às 17 horas a verdade será revelada e a paz reinará", projetou.

Comentários