Pela 1ª vez desde 2017, Bolsonaro perde seguidores nas redes sociais

Postagens com hashtags negativas sobre o presidente somaram 773 mil tuítes às 18 horas de sexta-feira

Por ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente Jair Bolsonaro participa das comemorações dos 154 anos da Batalha Naval do Riachuelo e entrega da Ordem do Mérito Naval a ministros, políticos e outras autoridades, no Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília.
O presidente Jair Bolsonaro participa das comemorações dos 154 anos da Batalha Naval do Riachuelo e entrega da Ordem do Mérito Naval a ministros, políticos e outras autoridades, no Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília. -
Brasília - A demissão do ministro Sérgio Moro fez o presidente Jair Bolsonaro perder seguidores nas redes sociais pela primeira vez desde setembro de 2017. Até esta sexta-feira o chefe do Executivo não havia registrado um dia sequer de baixa. Os dados são da consultoria Bites, que começou a acompanhar as publicações de Bolsonaro no Twitter, Instagram, Facebook e YouTube desde 1º de setembro de 2017.

No intervalo de seis horas, entre o pronunciamento do ex-ministro e a coletiva de imprensa do presidente, Bolsonaro e seus filhos - Carlos, Eduardo e Flávio - foram deixados por 86 427 contas.

O presidente foi o mais atingido. Às 15h20, 48.473 mil perfis já tinham saído de suas redes.

O ex-juiz acusou Bolsonaro de tentar interferir politicamente na Polícia Federal. Já o presidente afirmou que Moro condicionou a troca na PF a uma indicação para o Supremo Tribunal Federal.

Conforme a consultoria, na medição feita às 20 horas, a base de Bolsonaro havia sofrido uma redução de 0,12%.

As postagens com hashtags negativas sobre o presidente somaram 773 mil tuítes às 18 horas de sexta-feira. Na contramão do presidente, Moro conquistou 160.248 novas contas no Twitter e Instagram.

Comentários