Após episódio com Alvim, Secom ataca imprensa e parafraseia slogan nazista

'O trabalho, a união e a verdade libertarão o Brasil', escreveu o órgão oficial do governo Bolsonaro

Por O Dia

Secom: 'O trabalho, a união e a verdade nos libertarão'
Secom: 'O trabalho, a união e a verdade nos libertarão' -
Rio - Após o episódio em que Roberto Alvim foi exonerado da secretaria especial da Cultura por reproduzir um discurso de Joseph Goebbels, o ministro da Propaganda de Hitler, o governo federal voltou a reproduzir lemas da Alemanha nazista neste domingo, de acordo com o que foi observado por internautas.
Através do Twitter, a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) defendeu a atitude do presidente da República, Jair Bolsonaro, de minimizar a gravidade da pandemia do coronavírus, atacou a imprensa e concluiu: "O trabalho, a união e a verdade libertarão o Brasil". "O trabalho liberta" era um lema oficial do governo Hitler, na Alemanha nazista. 
Alguns usuários da rede social atentaram ainda para o fato de Bolsonaro estar usando um órgão de comunicação oficial do governo para alimentar a sua narrativa sobre o coronavírus, que contraria um consenso científico - outra prática da propaganda nazista -, e também para se referir a si próprio como "chefe", e não como "presidente". Em alemão, "chefe" pode ser traduzido como "führer" - o modo como Hitler era conhecido. 
Após o episódio, a Secom - assim como Roberto Alvim havia feito - negou qualquer associação com o nazismo: "Repudiamos veementemente qualquer associação desta postagem com quaisquer ideologias totalitárias e genocidas. O Estado Brasileiro sempre foi um grande parceiro da comunidade judaica, bem como do Estado de Israel, como provam os fatos, para além das ilações forçadas e maldosas", afirmou.

Comentários