Ministra da Mulher, da Família e Direitos Humanos, Damares Alves - Anderson Riedel/PR
Ministra da Mulher, da Família e Direitos Humanos, Damares AlvesAnderson Riedel/PR
Por O Dia
Rio - O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos divulgou nota em que manifesta preocupação com valores democráticos. A pasta cita "recentes eventos e seus desdobramentos". A nota foi disparada um dia depois da operação da Polícia Federal que fez busca e apreensão em endereços de 17 pessoas apoiadoras do governo Bolsonaro, supostamente ligadas a um esquema de distribuição de notícias falsas.
"O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos manifesta preocupação com os recentes eventos e seus desdobramentos, precedentes que podem colocar em risco a manutenção dos valores democráticos da livre manifestação de expressão e opinião, previstos na Constituição Federal de 1988 e nos tratados de direitos humanos, dos quais o Brasil é signatário", diz a nota.
Publicidade
O texto está alinhado com manifestações do presidente Jair Bolsonaro e de seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro.
O presidente Jair Bolsonaro criticou, em publicação no Twitter na noite desta quarta-feira, 27, a operação da Polícia Federal, realizada pela manhã, que fez busca e apreensão em endereços de 17 pessoas supostamente ligadas a um esquema de distribuição de notícias falsas. "Ver cidadãos de bem terem seus lares invadidos, por exercerem seu direito à liberdade de expressão, é um sinal que algo de muito grave está acontecendo com nossa democracia", escreveu o presidente, sem citar diretamente a operação, que foi ordenada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, no âmbito do inquérito das fake news. Além das pessoas que tiveram celulares e computadores apreendidos, oito parlamentares do PSL foram convocados a depor.
Publicidade
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou não ter dúvida de que será alvo de uma investigação em breve e disse que participa de reuniões em que se discute "quando" acontecerá "momento de ruptura" no Brasil.