Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística fornece os CDR atuais - Agência Brasil
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística fornece os CDR atuaisAgência Brasil
Por Agência Brasil
Brasil - O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira dados referentes aos coeficientes de desequilíbrio regional (CDR) de três regiões do país em 2019. A divulgação do indicador foi definida pelo decreto 9.291 de 2018.

Em 2019, o rendimento da Região Centro-Oeste ficou acima da média nacional com R$ 1.619, enquanto a média nacional foi R$ 1.439. Em uma escala de zero a 1, o Coeficiente de Desequilíbrio Regional (CDR) da região ficou em 1. O Nordeste ficou abaixo com rendimento de R$ 890 e um CDR de 0,62, seguido do Norte que teve rendimento de R$ 883 e CDR de 0,61.

Segundo o IBGE, os dados são calculados com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua). Os resultados foram calculados limitando o CDR ao máximo de um inteiro, conforme estabelece o decreto 9.291 de 2018, que determina essa publicação.

De acordo com o Instituto, os coeficientes são calculados com base nos valores de rendimentos regionais em comparação com a média nacional. Foram considerados os rendimentos de trabalho e de outras fontes de todos os moradores, inclusive os classificados como pensionistas, empregados domésticos e parentes dos empregados domésticos.

O IBGE informou que os resultados ocorrem a partir dos rendimentos brutos de trabalho e de outras fontes recebidos no mês de referência da pesquisa, acumulando as informações das primeiras entrevistas do 1º, 2º, 3º e 4º trimestres da PNAD Contínua de 2019.

O decreto 9.291/2018 define que os coeficientes serão aplicados na apuração dos encargos financeiros incidentes sobre os financiamentos de operações de crédito com recursos do Fundos de Financiamento do Nordeste, do Norte e do Centro-Oeste,  além de servirem de acompanhamento pelo Tribunal de Contas da União.