TCU vai analisar pedido feito pelo Ministério Público de Contas - Reprodução
TCU vai analisar pedido feito pelo Ministério Público de ContasReprodução
Por ESTADÃO CONTEÚDO
Rio - O Tribunal de Contas da União (TCU) começou nesta quarta-feira a análise das renovações antecipadas das ferrovias operadas pela Vale, a Estrada de Ferro Carajás (EFC) e a Estrada de Ferro Vitória Minas (EFVM). Ambos os processos são relatados pelo ministro Bruno Dantas.
Em nome do governo do Pará, a advogada Viviane Ruffeil Pereira reclamou no início do julgamento, durante sustentação oral, do mecanismo de cruzamento cruzado previsto nos processos.
Publicidade
Através dele, valores de outorga pagas pela Vale serão direcionadas a investimentos em outras ferrovias. "O desenvolvimento nacional não pode ser feito as custas do desenvolvimento regional", disse
Ao apresentar os casos, Dantas lembrou que o modelo de investimento cruzado já teve a constitucionalidade chancelada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). No início do ano, em uma vitória para o governo federal, o tribunal manteve em vigor a lei que dá base ao programa de renovação antecipada de ferrovias encampado pelo Ministério da Infraestrutura.
Publicidade
Além desses dois acompanhamentos, o TCU também analisa conjuntamente o relatório de auditoria do projeto de obras da EF-354, da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico), no trecho compreendido entre Mara Rosa-GO e Água Boa-MT.