Banco Mundial confirma Weintraub como diretor-executivo

Investigado por racismo contra a China e ameaças a ministros do Supremo, ex-ministro da Educação ocupará cargo até o final de outubro

Por O Dia

Abraham Weintraub
Abraham Weintraub -
Rio - O Banco Mundial confirmou, na noite desta quinta-feira, que o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, teve sua indicação aprovada e irá assumir o cargo de diretor-executivo no conselho da instituição.
Investigado no Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de racismo contra a China e por ameaças a ministros do próprio Supremo, Weintraub deixou o MEC em junho e foi indicado ao Banco Mundial pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. Funcionários da instituição tentaram ainda barrar a nomeação de Weintraub por conta de suas falas preconceituosas em relação à China. 
O Banco Mundial esclareceu que Weintraub não é funcionário da instituição, e que assume o cargo por conta da indicação. Ele fica no cargo até o final de outubro. "O sr. Weintraub deve assumir seu cargo na primeira semana de agosto e cumprirá o atual mandato que termina em 31 de outubro de 2020, quando a posição será novamente aberta para eleição. Diretores Executivos não são funcionários do Banco Mundial. Eles são nomeados ou eleitos pelos representantes dos nossos acionistas", esclareceu o banco.

Comentários