Militar da reserva, Osvaldo Palópito é acusado de desviar doação de fiéis - Reprodução/TV Gazeta
Militar da reserva, Osvaldo Palópito é acusado de desviar doação de fiéisReprodução/TV Gazeta
Por IG - Último Segundo
São Paulo - Os bens do padre militar da reserva, Osvaldo Palópito, de 66 anos, ex-capelão da Polícia Militar de São Paulo, foram bloqueados pela Justiça após ser condenado por desviar R$ 1,3 milhões em doações de fiéis. Palópito foi condenado a 26 anos e dois meses de reclusão pela Justiça Militar.

Galeria de Fotos

Militar da reserva, Osvaldo Palópito é acusado de desviar doação de fiéis Reprodução/Globoplay
Militar da reserva, Osvaldo Palópito é acusado de desviar doação de fiéis Reprodução/Globoplay
Militar da reserva, Osvaldo Palópito é acusado de desviar doação de fiéis Reprodução/TV Gazeta
Publicidade
Além de ex-coronel da PM, o sacerdote gravou discos com músicas religiosas. Ele era o responsável pela capela de Santo Expedito, localizada na região da Luz, no centro da capital paulista. A capela fica próxima a prédios da PM, como o quartel do BPChoque.
O pedido de prisão de Osvaldo Palópito foi realizado pela Corregedoria da Polícia Militar. O jornal Estado de São Paulo havia revelado que o PM que está no quadro de reserva, tem uma aposentadoria de R$ 16.377,51 e era investigado por improbidade administrativa.
Publicidade
O governo de São Paulo pediu para que a Igreja Católica expulse o religioso e quer oficializá-lo fora do quadro dos servidores do estado.
Em sua defesa, o padre alegou durante o processo militar que foi enganado pelo contador contratado pela igreja, que seria autor dos desvios. Ele disse ainda que não sabia do crime, e que o patrimônio que possui não é fruto dos recursos da igreja.