PEC da reforma administrativa, apresentada pelo governo de Jair Bolsonaro, alcança todos os servidores do país; Guedes defende a medida desde o início de sua gestão - Agência Brasil
PEC da reforma administrativa, apresentada pelo governo de Jair Bolsonaro, alcança todos os servidores do país; Guedes defende a medida desde o início de sua gestãoAgência Brasil
Por ESTADÃO CONTEÚDO
O presidente Jair Bolsonaro participou, na tarde desta sexta-feira, 28, da cerimônia de celebração do Dia Nacional do Voluntariado, no Palácio do Planalto, ao lado da primeira-dama, Michelle. Bolsonaro não discursou no evento, nem falou com a imprensa.
No dia em que o governo discute o valor da prorrogação do auxílio emergencial, o ministro da Economia, Paulo Guedes, participou da cerimônia, que aconteceu no Palácio do Planalto. Guedes também não conversou com jornalistas. 
Publicidade
Mais cedo, Bolsonaro voltou a dizer que as novas parcelas do auxílio vão ficar entre os R$ 200 inicialmente defendidos pela equipe econômica e os atuais R$ 600. O valor, de acordo com ele, pode ser "pouco para quem recebe", mas "é melhor do que nada". Na última quinta, o presidente chegou a falar que o auxílio emergencial é "envividamento".
"Isso não é aposentadoria, é uma ajuda emergencial. Eu sei que é pouco para quem recebe, mas ajuda, é melhor do que nada", disse o presidente na saída do Palácio da Alvorada, pela manhã.