Ex-médico Roger Abdelmassih foi condenado a 173 anos, seis meses e 18 dias de prisão por violentar sexualmente suas pacientes - reprodução
Ex-médico Roger Abdelmassih foi condenado a 173 anos, seis meses e 18 dias de prisão por violentar sexualmente suas pacientesreprodução
Por IG - Último Segundo
São Paulo - O ex-médico Roger Abdelmassih deixou sua residência, em São Paulo, na tarde desta segunda-feira, para retornar ao presídio de Tremembé, no interior do Estado, após a Justiça expedir um mandado de prisão contra ele - que foi condenado a mais de 173 anos de reclusão por estupro de 58 pacientes.
Abdelmassih estava cumprindo prisão domiciliar desde o dia 19 de abril, no início da pandemia da covid-19. Os policiais chegaram em sua casa por volta das 11h30 desta segunda-feira.

Na última sexta-feira a decisão que determinava a prisão domiciliar foi revogada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).  

Ela foi tomada com base em um pedido do Ministério Público (MP) que diz que não há cuidados que Abdelmassih precise que não estão sendo tomados no presídio.

Segundo o G1, os desembargadores que formam a 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça consideram que a pandemia “não autoriza, por si só, a antecipação da progressão do regime prisional”.

No momento, por ter sido condenado a 173 anos em regime fechado, o ex-médico não tem direito de progressão para o regime aberto.