Presidente Jair Bolsonaro  - AFP
Presidente Jair Bolsonaro AFP
Por O Dia
Rio - O presidente da República, Jair Bolsonaro, confirmou na manhã desta terça-feira que o auxílio emergencial, proposto por conta da pandemia do coronavírus, será de R$ 300 por mais quatro meses. 
"Agora resolvemos prorrogá-lo [o auxílio emergencial] por medida provisória até o final do ano. O valor definido agora há pouco é um pouco superior a 50% do Bolsa Família. Nós decidimos aqui, atendendo a Economia, em cima da responsabilidade fiscal, fixá-lo (o auxílio) em 300 reais", afirmou o presidente.
Publicidade
O anúncio foi feito após reunião do presidente com ministros e parlamentares aliados no Palácio da Alvorada.

Ao redor de Bolsonaro, estavam nomes como o presidente do PP, Ciro Nogueira (PI), e os líderes do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), e no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE).

O pronunciamento foi feito logo após Bolsonaro oferecer um café da manhã a líderes do Congresso para acertar os últimos ajustes da prorrogação do benefício.

A iniciativa de conversar com os congressistas antes de finalizar a proposta é mais um gesto de aproximação do presidente com o Legislativo. O anúncio, inclusive, foi antecipado no último final de semana por um dos principais líderes do centrão, o deputado Arthur Lira (PP-AL), que também estava perto de Bolsonaro nesta terça.

Entre os participantes do encontro também estavam os ministros da Economia, Paulo Guedes, da Secretaria-Geral, Jorge Oliveira, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, e da Casa Civil, Walter Braga Netto. Foram convidados cerca de 20 parlamentares do chamado 'centrão' e outros alinhados ao governo.
O benefício foi criado para ajudar trabalhadores informais que perderam renda por conta da pandemia do coronavírus.