Jingle de Russomanno tem estilo gospel e três menções a Bolsonaro

Apesar da rejeição do governo Bolsonaro de 47% da paulistanos, de acordo com levantamento do Ibope de setembro, Russomanno, que lidera as pesquisas de intenção de voto, aposta no apoio presidencial para conseguir chegar ao segundo turno

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Celso Russomanno
Celso Russomanno -
São Paulo - Com três menções a Jair Bolsonaro, o jingle de campanha do deputado federal Celso Russomanno (Republicanos), candidato à Prefeitura de São Paulo nas eleições 2020, apresenta tom gospel e não utiliza a expressão "defensor do consumidor", preterida por "defensor do povo".

"Com Russomanno e Bolsonaro, quem ganha é a nossa cidade", diz um trecho da música. A frase é muito semelhante ao slogan da campanha, segundo o qual São Paulo sai ganhando com apoio presidencial. Já no refrão, repetido duas vezes, consta o trecho "e Bolsonaro apoiando". O jingle vai ao ar no horário político das eleições 2020, que começa nesta sexta-feira, dia 9.

Apesar da rejeição do governo Bolsonaro de 47% da paulistanos, de acordo com levantamento do Ibope de setembro, Russomanno, que lidera as pesquisas de intenção de voto, aposta no apoio presidencial para conseguir chegar ao segundo turno. Nas eleições de 2012 e 2016, ele começou a disputa na liderança, mas se desidratou e perdeu ainda no primeiro turno. Sua liderança é em parte explicada pela visibilidade que tem em programas de televisão na Record TV.

De cada bloco de 10 minutos de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV, o deputado terá direito a 51 segundos nos blocos. Além disso, ele terá sete inserções diárias de 30 segundos no decorrer da programação da TV aberta. Trata-se do candidato com o quinto maior tempo de antena, atrás de Bruno Covas (PSDB), Márcio França (PSB), Jilmar Tatto (PT) e Joice Hasselmann (PSL)

A chancela de Bolsonaro à candidatura de Russomanno foi confirmada por ambos na última segunda-feira, 5. Mesmo antes disso, os dois já vinham sinalizando que a campanha do deputado contaria com apoio presidencial ainda no primeiro turno e o parlamentar só ingressou de fato na disputa após encontros com o mandatário onde ambos trataram do assunto. Em convenção confirmada no último dia do prazo em que o evento poderia ser realizado, dia 16 de setembro, o parlamentar anunciou uma aliança com o PTB e atraiu o ex-presidente da OAB-SP, Marcos da Costa, para a vaga de vice. A composição Republicanos-PTB reforçou o vínculo da chapa com o bolsonarismo.

Nas agendas e nos debates, Russomanno tem dito que o apoio do presidente permitirá a criação de um auxílio emergencial paulistano, que seria pago a moradores da cidade de São Paulo que hoje recebem o auxílio emergencial. A ajuda do governo federal viria na forma de uma nova renegociação da dívida da cidade de São Paulo, débito que já foi renegociado na gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) e vem sendo pago em dia pela gestão de Bruno Covas (PSDB).

Comentários