Ministro Marco Aurélio durante sessão de encerramento do ano forense do STF - Nelson Jr. / STF
Ministro Marco Aurélio durante sessão de encerramento do ano forense do STFNelson Jr. / STF
Por O Dia
Brasil - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello se irritou, na manhã desta terça-feira, ao ser questionado por uma jornalista sobre a soltura de André Oliveira Macedo, de 43 anos, o André do Rap, acusado de ser um dos chefes do Primeiro Comando da Capital (PCC). Em entrevista à rádio CNN Brasil, o ministro se recusou a responder a pergunta e antes de encerrar a entrevista afirmou se tratar de uma "injúria". 
A repórter da CNN Brasil havia questionado Marco Aurélio sobre o fato do escritório de um ex-assessor do ministro ter sido o autor do pedido de soltura do traficante André do Rap e se ele sabia dessa informação antes de tomar a decisão de libertar o traficante. A partir dessa informação, ela indaga se não seria um conflito de interesses. 
Publicidade
Ao ouvir a pergunta, o ministro esbravejou e afirmou "vou encerrar por aqui, pois isso é uma injúria. Acabou a entrevista. Obrigado". 
De acordo com informações obtidas pela revista eletrônica Crusoé, o documento com o pedido de habeas corpus foi assinado por Ana Luísa Rocha Gonçalves, que integra o escritório Ubaldo Barbosa Advogados, pertencente a Eduardo Ubaldo Barbosa. Barbosa era assessor no gabinete de Marco Aurélio até 17 de fevereiro deste ano.
Publicidade
No habeas corpus assinado por Ana Luísa Rocha Gonçalves, em 23 de setembro, não está registrada a informação de que ela é sócia no escritório Ubaldo Barbosa Advogados. A advogada informou apenas o endereço de seu escritório, sem denominá-lo. O endereço é igual ao de Ubaldo Barbosa Advogados - uma sala específica localizada em um edifício empresarial na Asa Norte, em Brasília. 
Uma decisão de dezembro do ministro Marco Aurélio cita informações prestadas pelo assessor Eduardo Ubaldo Barbosa. Em janeiro, Barbosa recebeu salário líquido de R$ 17.144,41. O último mês em que seu nome consta na folha de pagamentos do Supremo é fevereiro. Em 9 de março, Barbosa registrou a abertura do escritório de advocacia na Receita Federal. O site do escritório traz um aviso de que está "em construção" e informa, no momento, apenas o endereço, o telefone e o e-mail para contato.
Publicidade
*Com informações de Estadão Conteúdo