O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o Ibama haviam ordenado a paralisação imediata do trabalho de 1.400 agentes de combate a incêndios que estavam em campo, por causa da falta de recursos e dívidas acumuladas - Mayke Toscano/Secom-MT
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o Ibama haviam ordenado a paralisação imediata do trabalho de 1.400 agentes de combate a incêndios que estavam em campo, por causa da falta de recursos e dívidas acumuladasMayke Toscano/Secom-MT
Por O Dia
Com 2,536 focos de incêndio, nos primeiros 14 dias deste mês, o Pantanal já registrou o segundo pior outubro desde 1998. Como mostram os dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o período desse ano está atrás somente do ano de 2002, quando foram registrados 2.761 focos. Em duas semanas, o bioma já registrou mais focos de incêndio do que no último mês, quando teve 2.430 pontos de queimadas. 
Mas, a situação crítica do Pantanal não é de hoje. A região já tinha vivido o pior mês de julho e o segundo pior mês de agosto, em relação a incêndios, em 22 anos. Além disso, o mês de setembro foi o pior já registrado na história, com 6.048 registros de queimadas. Os números divulgados apontam para uma situação alarmante, faltando cerca de dois meses e meio para o ano acabar, 2020 já é período em que o bioma sofreu o maior número de incêndios, com 8.106 pontos até o mês passado.