Caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) - Reprodução/Google Maps
Caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP)Reprodução/Google Maps
Por IG - Último Segundo
Publicado 20/10/2020 14:46 | Atualizado 20/10/2020 14:47
São Paulo - Na última segunda-feira, uma menina de cinco anos morreu com sinais de espancamento no Espírito Santo. O padrasto da criança foi preso como suspeito. Ele tem 35 anos e é aposentado. As informações foram dadas pelo UOL.

Segundo a Polícia Militar, a mãe da menina, uma mulher de 23 anos, saiu de casa por volta das 14h e deixou a filha com o companheiro. Horas depois, ela recebeu uma ligação da irmã informando que a criança estava desacordada.

Em casa, a mãe encontrou a filha deitada no quarto e imóvel. Ela decidiu levar a criança até o posto de saúde administrado pela concessionária da rodovia BR-101, que fica próxima à residência dela.

A menina recebeu atendimento médico e os profissionais notaram que havia ferimentos na barriga, nas mãos e na cabeça da vítima. Eles concluíram que as marcas indicavam suspeita de espancamento e a Polícia Militar (PM) foi acionada.

À PM, o padrasto disse que aconselhou a criança a deitar, porque ela havia passado mal e vomitado depois do almoço. Ele afirmou também que ligou para a tia da menina informando que ela estava desacordada.

O padrasto foi levado à Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) sob a suspeita de ter causado as lesões na criança. Ele passou a noite na DHPP e se negou a prestar depoimento.

Na manhã desta terça-feira, o padrasto foi para o Centro de Triagem de Viana. A Polícia Civil informou que o suspeito foi autuado por homicídio qualificado.

O corpo da criança foi encaminhado ao Departamento Médico Legal (DML) de Vitória e, para determinar a causa da morte, deverá passar pelo exame cadavérico. O caso está sendo investigado pela DHPP.