Consumidores devem tomar cuidado ao fazer compras online na Black Friday - Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Consumidores devem tomar cuidado ao fazer compras online na Black FridayMarcello Casal Jr/Agência Brasil
Por O Dia
O número de brasileiros comprando online tem crescido consideravelmente com o isolamento social, causado pela pandemia da Covid-19. Com a chegada da Black Friday, as ofertas chamam ainda mais atenção e é preciso ter cuidado para fazer compras seguras. Para isso, o Procon-RJ preparou uma cartilha com dicas para não ter dor de cabeça, além de uma lista de sites não recomendados pelo órgão que atende o consumidor.
O objetivo é ajudar aquele consumidor que está na dúvida se deve ou não comprar em uma determinada loja virtual. Ao todo, são 200 endereços eletrônicos, definidos depois de uma grande análise do Procon-RJ. A entrega dos produtos e serviços, assim como se a empresa responde as reclamações do consumidor e as notificações enviadas pela autarquia foram fatores levados em conta. A lista pode ser consultada clicando aqui.
Publicidade
O presidente do Procon-RJ, Cássio Coelho, adverte sobre o envio de documentos por e-mail ou aplicativos de mensagens em compras pela internet. Ele afirma que isso não deve ser feito, “mesmo que a empresa use o pretexto de que é necessário para emitir a nota fiscal, atualizar cadastro, fornecer descontos, confirmar endereço de remessa”:
“Essa é a forma mais comum utilizada para burlar a verificação em duas etapas, que é uma segurança maior para o usuário. Nunca informe código gerado por empresas que anunciam e vendem por telefone ou WhatsApp, nem os recebidos por sms, pois estas são formas de clonar os dados do consumidor. Ao efetuar as compras, prefira o pagamento por cartão de crédito e atenção com sites que só aceitam boleto bancário, pois se houver algum problema com a compra, o consumidor terá mais dificuldade de ressarcimento junto ao banco”, avisa.
Publicidade
A recomendação do Procon-RJ é de que os consumidores efetuem compra de produtos ou serviços em sites que tenham endereço físico em território brasileiro. Nossa lei tem abrangência nacional e, ocorrendo algum problema com o pedido realizado em site estrangeiro, haverá dificuldade na aplicação do Código de Defesa do Consumidor.
Uma pesquisa realizada pela TracyLocke Brasil, em parceria com o Behup, mostrou que 43% dos brasileiros já estão se programando para compras na Black Friday. Para que os cuidados sejam tomados, a cartilha do Procon-RJ orienta o consumidor em aspectos como preço, trocas e garantia dos produtos. O material pode ser acessado clicando aqui.